Colunistas

avatar
Anne Francis Costa

Refém das emoções? O corpo é que paga

Psicóloga Clínica – Terapia Cognitiva Comportamental
CRP nº 04/56392
Graduada em Psicologia pelo Centro Universitário do Triângulo (Unitri).
A terapia busca tratar problemas psicológicos, emocionais e comportamentais.
Ela pode trazer enormes benefícios para o paciente: segurança nas decisões,
aumento da autoestima, autoconhecimento, desenvolvimento pessoal,
tolerância à frustração, superação de conflitos internos, superação de traumas
e abusos, motivação, melhora os relacionamentos interpessoais.

Empatia

Enviado por: 15/07/2020

(Imagem retirada da internet)

Poderia haver maior milagre do que olharmos com os olhos do outro por um instante?

Henry David Thoreau.

O que é a empatia? É a capacidade de se colocar no lugar do outro. E se colocar no lugar do outro não significa tomar decisões para outra pessoa. É ouvir o outro para conhecer suas necessidades, suas dificuldades, seus desejos. A empatia se difere de expressões de compaixão como piedade ou o sentimento de pesar por alguém, pois estas não envolvem a tentativa de compreender as emoções ou o ponto de vista da outra pessoa.

Sentir empatia envolve compreender os sentimentos do outro, seja pela capacidade de colocar-se no lugar deste ou pela experiência das emoções.

Desenvolver a empatia é importante para o nosso bem-estar emocional, ao se colocar no lugar do outro, nós teremos melhores relações interpessoais.

Você já teve um daqueles dias em que só precisava de alguém para conversar e que pudesse entender como estava se sentindo? Você já se sentiu incompreendido por alguém? Se já, você estava precisando de uma dose de empatia. Sentir-se ouvido e compreendido é uma necessidade humana.

Sentir-se compreendido não é apenas uma necessidade humana, mas é também como nos conectamos, ajudamos e apoiamos uns aos outros. Se não podemos reconhecer que alguém está sofrendo, como podemos apoiá-lo?

Quem possui empatia é incapaz de julgar alguém, falar mal do outro ou tentar prejudicar o próximo, pois sabe que se fosse com ele, não iria apoiar nenhuma dessas atitudes.

A empatia não é uma competência que caminha sozinha. A pessoa empática possui outras características positivas, possuindo uma conexão com as pessoas. É extremamente sensível e toma as emoções dos outros para si.

Segue algumas dicas de como desenvolver a empatia: autoconhecimento – conheça seus pontos fortes a desenvolver; reconheça suas emoções no momento em que ocorrem – interprete-as; estabeleça uma conversa empática – ouça e com atenção; demonstre interesse e diminua ou corte o julgamento.

Uma das primeiras chaves da empatia é estar ciente das nossas próprias emoções. É somente com essa consciência que podemos estar presentes para o outro.

Podemos listar como qualidades da empatia: ser capaz de ver o mundo com os olhos do outro; não julgar; entender os sentimentos do outro; comunicar sua compreensão sobre sentimentos dessa pessoa.

Muitas pessoas pensam que estão sendo empáticas quando apenas estão sendo compreensivas.

(Imagem retirada da internet)

Um objetivo importante em nossos relacionamentos é nos conectarmos com o outro. A empatia cria conexão, enquanto a simpatia cria separação e desconexão. Com empatia, há uma vibração entre as pessoas, uma ponte de entendimento é construída entre elas que fortalece a confiança e a conexão. Com simpatia, há uma fixação na experiência de uma pessoa, em vez de compreensão e conexão.

Outro obstáculo para expressar empatia verdadeira é a tendência a acreditar que somos responsáveis ​​por fazer com que outras pessoas se sintam melhor, especialmente aquelas que amamos. Imagine se as emoções de todos os outros fossem nossa responsabilidade, ficaríamos sobrecarregados.

A empatia não nos pede para assumir a responsabilidade pelos sentimentos de outra pessoa. Ela é a capacidade de estar verdadeiramente presente e de manter um espaço seguro para os outros sentirem suas próprias emoções completamente. Assim, elas são capazes de entender sua experiência.

Também experimentamos empatia com frequência muito maior do que jamais imaginaríamos. Quando você percebe que uma nova colega de trabalho está nervosa antes de uma apresentação, você tenta talvez imaginar a ansiedade e a insegurança que ela está sentindo e tranquilizá-la. Mas a empatia não envolve apenas uma consciência da dor e do sofrimento à nossa volta. Ao escolher um presente de aniversário para sua mãe, você pensa sobre o tipo de coisa que ela realmente adoraria.

Devemos reconhecer a importância da empatia no dia a dia. Imagine um mundo em que ela não exista. Abra os olhos para a empatia e perceberá que ela está por toda parte.

Buscar a ajuda de um psicólogo é uma ferramenta valiosa para quem busca desenvolver a empatia.

Referência bibliográfica:

KRZNARIC, Roman. O poder da empatia A arte de se colocar no lugar do outro  para transformar o mundo. Tradução: Maria Luiza X. de A. Borges

https://www.psicologosberrini.com.br/clinica-de-psicologia/porque-devemos-desenvolver-a-empatia.

Comentários...