Colunistas

avatar
Wander Tomaz

Gigante de Minas

Locutor Esportivo com atuação em Minas Gerais, há três décadas. Nome reconhecido em todo o Estado, inclusive com biografia inclusa em obra publicada sobre os principais influenciadores do rádio esportivo mineiro. Narrador e comentarista esportivo da Rede Vitoriosa de Comunicações (Rádio Vitoriosa FM 105.5 e TV Vitoriosa SBT). Agora na internet com o V9 Vitoriosa

O VELHO CAMPEONATO MINEIRO ESTÁ DE VOLTA

Enviado por: 04/11/2019

O Campeonato Mineiro de Futebol Módulo I da próxima temporada voltará a ser disputado de acordo com as regras impostas por América, Atlético e Cruzeiro. O cansativo sistema de disputa fará com que os três grandes de Minas façam um jogo a menos, com relação às duas últimas temporadas. Além do mais, fará com que a competição promova um total desequilíbrio técnico.

Os doze participantes jogarão em turno único classificando os quatro primeiros para as semifinais. A partir daí, começará a fase de mata mata, até se conhecer o campeão.  Os dois últimos colocados serão rebaixados ao Campeonato Mineiro Módulo II, de 2021.

O desequilíbrio técnico é tão colossal, que algumas equipes na primeira fase, terão cinco jogos em casa, outros times mandarão seis partidas, e os da capital poderão jogar até nove vezes sem sair de Belo Horizonte. E ainda tem gente que defende que o Campeonato Mineiro é o melhor do Brasil. Isso é brincar com a realidade e com a inteligência do torcedor mineiro.

CRIAÇÃO DE DOIS TORNEIOS

Nos dois próximos anos, fica inserida no Campeonato Mineiro, a disputa de dois troféus paralelos, enquanto a bola rola nas semifinais e finais do certame. As equipes que terminarem a primeira fase entre quinto e oitavo lugares disputarão o “Troféu Inconfidência” em dois jogos eliminatórios. O campeão ainda terá que enfrentar o melhor time do interior, que se classificar para as semifinais valendo a “Recopa Mineira”.

Na realidade, são dois torneios de consolação, pelo fim da fase quartas de final, que foi disputada em 2018 e em 2019. Dois troféus que não levam nada a lugar algum, haja vista que a Federação Mineira de Futebol não dará nenhuma premiação aos participantes. Nem mesmo uma vaga para a Copa do Brasil, pois não tem ranking suficiente para isso,

O orçamento das equipes do interior não é nada robusto. Cinco jogos a mais para quem chegar até a disputa da Recopa de Minas representarão altas despesas com logísticas de viagens e taxas diversas com o quadro móvel de partidas.

A regra do jogo está definida. Nada muda no Campeonato Mineiro. Desproporcional em sua forma de disputa e fantasiosa em querer emplacar a competição, como a melhor do Brasil.

Comentários...