Colunistas

avatar
Juliana Bridi Gobbi

“Leve a Vida Leve”

Meu trabalho se baseia nos conhecimentos que adquiri ao longo da minha trajetória de quase 15 anos como gestora de RH, consultora em RH, Coach e buscadora de mim mesma.
Graduada em Administração e Pos-Graduada em Gestão de Pessoas, tenho formação em Coaching pelo IBC, sou master em PNL – Programação Neurolinguística pela Escola Livre e praticante de Yoga.
Sou mãe do Lucas e da Luísa, meus grandes pequenos mestres. Minha busca é por mais consciência, sentido, liberdade, amor e prosperidade em qualquer atividade em que eu estiver engajada.

Quando ficamos presos nas armaduras que nós mesmos criamos

Enviado por: 02/11/2019

Você conhece a estória do cavaleiro preso da armadura, de Robert Fischer?

Conta a trajetória de um cavaleiro que era reconhecido por sua reluzente armadura. Ele fazia de tudo para ser o número 1 do reino, resgatava donzelas, matava dragões e partia para cruzadas. Ele se encantava tanto em usar a armadura e provar que era bondoso, gentil e amoroso que passou a usá-la para jantar e dormir. Sua esposa e filho mal conseguiam se lembrar de como era mesmo o rosto dele. De tanto sua esposa pedir que tirasse a armadura, o cavaleiro decidiu removê-la. Mas eis que a armadura não saía, ele estava preso nela. Pediu ajuda ao ferreiro, homem mais forte do reino. Mesmo tendo sua armadura golpeada, o cavaleiro nada sentia e continuava preso. Ele tinha se esquecido como era viver a vida sem aquela armadura. Mal conseguia ver as pessoas ou comer pelas frestas do elmo. A rigidez da armadura se refletia nos poucos movimentos e rigidez de pensamentos. O cavaleiro percebeu então que devia partir sozinho para conseguir se livrar da armadura, e percorrer o Caminho da Verdade, isto é, o caminho do autoconhecimento. Um belo conto que merece ser lido até o final.

Ao longo da vida criamos armaduras para sermos o que achamos que os outros esperam de nós. E atuamos tanto dentro dessa armadura que nos perdemos de nós mesmos. Por medo de fracassar, de não ser amado ou valorizado, de sofrer. Mas a vida nos chama a perceber essa armadura, quando adoecemos, sentimos dores físicas e emocionais, quando as coisas parecem não dar certo, como uma crise. Ainda bem! Rsrsrs. Um convite a parar e partir para uma jornada de contato consigo, com seu ❤️ e com sua alma.

Em que capítulo você está? No que o cavaleiro está fascinado com sua armadura? Ou no que ele está tentando tirar mas não consegue? Ou você já partiu para o caminho da verdade?

Comentários...