Polícia

Casal é preso pela Polícia Civil suspeito de crimes sexuais contra mulher e adolescente em Ituiutaba

Enviado por: Carolina Vilela 18/04/2017

Foto: Polícia Civil / Divulgação

Um casal da cidade de Ituiutaba foi preso nesta segunda-feira, 17, pela Polícia Civil (PC), por força de mandados de prisão temporária. Drayton Luiz Tavares, de 41 anos, e Kellen Gonçalves Garcia Tavares, 34, são suspeitos de cometerem crimes sexuais, agressão e coação contra uma mulher de 25 anos e uma adolescente de 17, no dia 4 de abril deste ano. As vítimas foram mantidas reféns por mais de 20 horas, enquanto eram submetidas a ameaças de morte sob a mira de arma de fogo e violência sexual.

De acordo com o delegado responsável pelo caso, Carlos Antonio Fernandes, Drayton é investigado pela prática dos crimes de estupro, cárcere privado com o fim de praticar atos libidinosos, disparo de arma de fogo e corrupção de menor. Já Kellen é acusada de agressão à menor, além de coação e ameaça no curso do processo às vítimas e às testemunhas, no intento de proteger seu esposo e evitar as delações das vítimas à polícia.

Vítimas foram atraídas para um rancho

Na data dos fatos, o investigado Drayton teria atraído as vítimas para um rancho de sua propriedade. Lá, as garotas ficaram trancadas dentro da casa e em um quarto, onde eram obrigadas a praticar sexo com ele e satisfazer suas lascívias sob ameaças com um revólver.

A vítima de 25 anos foi mantida refém por aproximadamente 20 horas, enquanto a adolescente, por cerca de 24 horas.

Homem ofereceu R$ 2,5 mil pelo silêncio de vítima

De acordo com as investigações, o suspeito chegou a entregar um cheque no valor de R$ 2,5 mil a uma das vítimas, como forma de silenciá-las em relação ao ocorrido. Após o fato, Kellen teria procurado as vítimas e testemunha, coagindo-as com o intento de que nada delatassem à polícia e não levassem os fatos que envolviam seu esposo à Justiça, ameaçando-as de morte, bem como seus familiares.

Investigações

O trabalho investigado é realizado pela Delegacia Especializada de Proteção à Criança e à Mulher da Regional de Ituiutaba, pertencente ao Departamento de Polícia Civil de Uberlândia. “A PCMG, em conjunto com o Ministério Público e Poder Judiciário, rapidamente forneceu respostas à sociedade, diante de práticas criminosas dotadas de ímpar e extrema gravidade. As investigações continuam pelo prazo legal, com os investigados recolhidos no Sistema Prisional”, observa o delegado regional Carlos Antônio Fernandes.

Comentários...