Polícia

Polícia Civil prende dois suspeitos de envolvimento com 6 homicídios em Uberlândia

Enviado por: Carolina Vilela 12/05/2017

Na tarde desta sexta-feira (12), a Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG), em Uberlândia, prendeu em flagrante dois homens, de 19 e 25 anos, por posse ilegal de arma de fogo. Com os suspeitos, ainda, foram encontradas três pistolas (2 .380 e uma 9 mm) e 99 munições, que estão apreendidas.

De acordo com o delegado de homicídios Rafael Herrera, os autores Bruno Henrique de Jesus, de 19 anos, e Eli de Oliveira, de 25, são suspeitos de cometerem pelo menos seis homicídios na cidade de Uberlândia.

Os investigadores chegaram até a dupla em uma casa no Bairro Maanain, a partir das diligências que apuram o homicídio de Paulo Henrique da Costa Maia, 21 anos, ocorrido nesta manhã no Bairro Planalto. As investigações apontam que a vítima Paulo Henrique era comparsa dos dois presos, Bruno e Eli, no cometimento de crimes de homicídios.

A PC descobriu onde os três moravam e lá encontrou três armas de fogo, sendo duas pistolas .380 e uma 9 mm; 16 projéteis calibre .38; 24 projéteis calibre .32; dois projéteis calibre .32 curto; oito projéteis calibre 9mm; e quatro carregadores.

Os três são suspeitos de envolvimento em seis homicídios registrados em Uberlândia a partir de 21 de março.

O primeiro foi no Bairro Planalto e vitimou Matheus Souza de Moraes, de 19 anos, em uma barbearia. Ele estava cortando cabelo, quando o criminoso chegou numa moto, entrou no salão e descarregou um revólver na vítima, que não teve a menor reação. Matheus já tinha sido vítima de um duplo atentado, juntamente com o irmão, anteriormente.

No dia 23 de abril, Paulo Antonio Pacheco Filho foi assassinado a tiros no Bairro Planalto. A vítima estava sentada na calçada de casa perto de 18h, quando dois criminosos chegaram a pé e efetuaram os disparos. Mesmo ferido Paulo Antonio Filho tentou escapar, mas caiu, foi seguido e atingido outras vezes. Os tiros atingiram, um na cabeça e quatro no peito.

Em 25 de abril, Guilherme Pereira da Silva foi morto no Residencial Pequis. O crime aconteceu na Avenida Rio das Pedras, Bairro Residencial Pequis, zona sul da cidade, próximo a uma escola em construção. Guilherme Pereira da Silva, de 19 anos, foi executado no meio da rua com pelo menos 10 tiros de pistola calibre .380, quase todos na cabeça.

No dia 6 de maio – Thales Camilo de Melo Silva, de 21 anos, foi morto com cinco tiros no meio da Praça Teodora dos Santos, no Bairro Jardim das Palmeiras. Ele havia saído do Presídio Professor Jacy de Assis no dia anterior, onde cumpria pena já há quase um ano por envolvimento com o tráfico de drogas.

Por fim, um casal foi assassinado também a tiros no Bairro Tocantins. Eles foram vítimas de tiros no dia 8 de maio, no Bairro Guarani. Lucas Gabriel Lino Tavares, de 27 anos, morreu na hora. A namorada dele, Érica Faria da Silva, de 23 anos, morreu no dia seguinte.

De acordo com o delegado, as mortes, em sua maioria estariam relacionadas ao tráfico de drogas, e em alguns casos, rixas pessoais.

Uma das armas apreendidas com eles, uma pistola .380, foi furtada em uma loja na Avenida João Naves de Ávila.

A morte do Paulo Henrique Maia pode estar relacionado a uma possível vingança em decorrência dos outros crimes. Todos os três já tinham passagens por outros crimes.

Com informações de Léo Soares

Comentários...