Colunistas

avatar
Anne Francis Costa

Refém das emoções? O corpo é que paga

Psicóloga Clínica – Terapia Cognitiva Comportamental
CRP nº 04/56392
Graduada em Psicologia pelo Centro Universitário do Triângulo (Unitri).
A terapia busca tratar problemas psicológicos, emocionais e comportamentais.
Ela pode trazer enormes benefícios para o paciente: segurança nas decisões,
aumento da autoestima, autoconhecimento, desenvolvimento pessoal,
tolerância à frustração, superação de conflitos internos, superação de traumas
e abusos, motivação, melhora os relacionamentos interpessoais.

Questão das obsessões – Transtorno obsessivo compulsivo

Enviado por: 31/10/2019

A maioria das pessoas conhece ou já ouviu falar de alguém que tem uma mania. Como por exemplo, bater três vezes na madeira, levantar da cama somente com o pé direito, usar a mesma peça de roupa em momentos especiais para dar sorte, etc.

Quase todo mundo tem algumas dessas atitudes em menor ou maior grau. No entanto existem pessoas que levam as últimas consequências e acabam tendo prejuízos na vida amorosa, social, no trabalho, na vida acadêmica, devido aos excessos.

Elas acreditam que essas atitudes podem evitar que algo catastrófico aconteça com a sua vida e de seus familiares. Por trás dessas esquisitices existe alguém que está passando por inteiro sofrimento, causando desconforto, culpa e ansiedade. O desconforto é tão grande que a pessoa desenvolve comportamentos, rituais ou manias na esperança de neutralizar acontecimentos que ela tanto teme.

Essas “manias” trata-se de uma disfunção mental conhecida como: transtorno obsessivo compulsivo (TOC). É o termo que define as manias quando está no estado grave e incontrolável.

Muitas pessoas com TOC escondem esse problema por vergonha, dificultando uma ajuda adequada e um tratamento precoce. Poucos sabem que o tratamento correto e informação levam aos resultados bastante satisfatórios.

O transtorno obsessivo compulsivo (TOC) se caracteriza por obsessões e ou compulsões. As obsessões são pensamentos ou ideias recorrentes de caráter intrusivo e desagradável que causam ansiedade e tomam grande parte do tempo das pessoas que sofrem desse transtorno. As obsessões são pensamentos repetitivos, que provocam imenso desconforto emocional na forma de ansiedade.

As compulsões que são conhecidas como mania, são comportamentos, ações, atitudes de caráter repetitivo, que a pessoa com TOC adota com o objetivo de reduzir a ansiedade provocada pelos pensamentos repetitivos. As compulsões tendem pelo menos no início, a despertar a sensação de alívio. O alivio é temporário e a ansiedade surgirá assim que a pessoa voltar com os pensamentos obsessivos, e acaba executando os rituais novamente.

Para que os pensamentos sejam considerados obsessivos, eles devem ser desagradáveis, intrusivos, indesejáveis e repetitivos. Esses pensamentos obsessivos estão relacionados ao medo. O medo é um sentimento natural que vem para nos proteger como, por exemplo, atravessarmos com cuidado a uma rua movimentada. As pessoas com pensamentos obsessivos sofrem com medo irracional e infundado que limita os movimentos e a liberdade, este deixa de ser útil e não serve mais de proteção e entrava a vida.

Citaremos as principais e mais comuns obsessões frequentes. Algumas envolvem medo de contaminação, dúvidas persistentes, blasfêmias religiosas, desejos agressivos, entre outras, vamos a elas:
Obsessão de agressão – Preocupar-se em ferir os outros ou a si mesmo, insultos, impulsão de agressões.
Obsessão de contaminação – preocupação com sujeiras, germes, contaminação por vírus e bactérias, apertos de mãos, medo de serem contaminados em hospitais, velórios, cemitérios, etc. Essas pessoas com pensamentos obsessivos são capazes de ficar inclusos em casa com medo excessivo de serem contaminados.
Obsessão de conduta sexual – pensamentos obscenos, imagens pornográficas recorrentes, impulsos incestuosos, pensamentos persistentes de fazer sexo com pessoas impróprias ou em situações estranhas. Alguns evitam sair de casa por temer a fazer propostas indecorosas e em voz alta as pessoas que ele ache atraente ao cruzar seu caminho.
Obsessão de armazenagem e poupança – a pessoa não consegue se desfazer de coisas, por achar que pode ser útil em algum momento (embalagens, papeis, jornais, revistas, roupas e outros). Ideia fica de colecionar e guardar vários objetos.
Obsessão de caráter religioso – pensamentos de escrupulosidade, pecado, blasfêmias, certo e errado, falar  obscenidades.
Obsessão de simetria – a pessoa tem uma sensação de que é “errado” ou “incômodo” ver coisas desarrumadas e desalinhadas. Ideias constantes de alinhamento de objetos, roupas, decoração, etc.
Obsessão ligada a dúvidas – quem tem pensamento não consegue confiar em nada e necessita certificar-se repetidas vezes de que está tudo bem. Preocupação de não confiar em si mesmo, e não ter certeza se fez algo direito ou se realizar determinada tarefa como fechar uma janela, deixar uma encomenda, checar várias vezes a fechadura da porta e outros.
Nem todas as pessoas que sofrem do problema apresentam os variados tipos de pensamentos obsessivos. Alguns podem ter aqueles relacionados a seus maiores medos e dúvidas. E pode ao longo do tempo, os pensamentos obsessivos mudarem, passando por períodos de enfraquecimento e intensificação.

Assim, vemos que as pessoas com TOC sofrem, e não só consideram inaceitáveis determinados pensamentos como se obrigam a executar e que lhes tomar tempo, paciência, saúde e ainda segundo sua ótica ansiosa, serem responsabilizados por algum acontecimento terrível, tendo de fazer o máximo possível para proteger a si mesmo e aos outros.

Você tem alguma “mania” que lhe causa grande incômodo e consome muito tempo da sua rotina? Procure ajuda.

Referência:
Silva, Ana Beatriz B.
Mentes e Mania: TOC : Transtorno obsessivo compulsivo – Rio de Janeiro: Objetiva
2011.

Comentários...