Geral

Prefeitura de Araguari alerta para alto índice de infestação do Aedes aegypti nos quintais dos imóveis

Enviado por: Redação V9 23/01/2020

O primeiro Levantamento de Índice Rápido de Infestação do Aedes aegypti (LIRAa) de 2020 em Araguari, apontou que o município se encontra em situação de alerta para transmissão de dengue, zika vírus e chikungunya. O LIRAa indicou um índice de infestação de 6,2%.

A pesquisa feita realizada pela Prefeitura de Araguari, através do Departamento de Controle de Zoonoses e Endemias indicou que 6,2% dos imóveis estão infestados pelo mosquito, número que representa risco de surto de dengue.

Ao todo 2,6 mil imóveis foram pesquisados entre os dias 6 e 10 de janeiro. O levantamento aponta ainda que 98% dos criadouros encontrados poderiam ser eliminados pelo próprio morador.

O LIRAa mostrou que alguns bairros apresentaram índice de infestação superior a 8%. As áreas com maior incidência do Aedes aegypti e de larvas foram os bairros Alan Kardec, Jóquei Clube, Goiás (parte alta), Vieno, São Judas, São Sebastião, Jardim Panorama, Independência, Santiago, Araras e Vila Olímpica.

A Prefeitura de Araguari pontua que apesar do serviço de visitas domiciliares serem contínuos, altas temperaturas, altos índices de chuvas e a presença de objetos que possibilitem o acúmulo de água torna o ambiente propício para a proliferação do mosquito, uma vez haja a presença de ovos viáveis.

“Mais uma vez a maioria dos focos encontrava-se em depósitos móveis, como vasos, pratos, recipientes de degelo de geladeira, bebedouros de animais, e em lixos e sucatas, os quais poderiam ser facilmente evitáveis pela própria população. Se cada um fizer a sua parte, todos sairão ganhando”, destacou o Prefeito Marcos Coelho.

Frente ao resultado obtido, o Prefeito, solicita mais uma vez o apoio e colaboração da população de Araguari. “Somente com apoio de todos, poderemos ajudar a controlar o mosquito transmissor das arboviroses, principalmente neste período do ano onde há altas temperaturas associadas às chuvas”.

Uma ação simples, que pode ajudar muito no combate ao mosquito e que o próprio cidadão pode fazer, é o que os agentes chamam de “os 10 minutos”. “Dez minutos por semana são suficientes para fazer uma vistoria em todo o espaço de moradia, escola, repartições públicas, para que se detecte qualquer local que possa acumular água parada. Com a visualização disso podemos fazer ou a eliminação, ou a vedação, ou na oportunidade da visita dos nossos agentes, o tratamento daquele reservatório”, destacou Marcos Coelho.

Comentários...