Polícia

Jovem diz que cadela foi estuprada no Bairro Mansour e pede ajuda; Hospital tem outra versão

Enviado por: Isabela Lamark (Estagiária) 16/03/2017

Uma denúncia feita à nossa equipe por uma protetora de animais indica que uma cadela foi estuprada na tarde desta quarta-feira, 15, no Bairro Mansour. Diversos internautas do site V9 Vitoriosa também entraram em contato pelas redes sociais para pedir ajuda para o animal, que teria sido atropelado.

A cadela ficou agonizando no local onde foi encontrada por aproximadamente seis horas. Na madrugada de quinta-feira, 16, a protetora de animais Cibele Silva fez o resgate e encaminhamento até uma clínica veterinária para os primeiros-socorros.

Segundo Cibele Silva, o médico veterinário que atendeu a cadela Sophia Loren afirmou que ela havia sido abusada sexualmente. A mulher estava cuidando da cadela em casa, com medicamentos para dor e ela não conseguia sequer andar. Já na manhã seguinte, a cachorra foi encaminhada para o Hospital Veterinário da UFU para fazer exames específicos e detalhados.

Cibele informou à nossa equipe que havia indícios de esperma no ânus e na genitália de Sophia, mas o Hospital Veterinário enviou nota que nega veementemente essa versão. Segundo o órgão, os exames realizados evidenciaram fratura completa transversal no íleo esquerdo e subluxação sacro-ilíaca bilateral, região vulgarmente conhecida como parte da bacia. As lesões necessitam de correção cirúrgica ortopédica.

O hospital afirma ter informado à responsável, Cibele Silva, sobre todos os resultados de exames e dos procedimentos realizados durante o atendimento. E esses resultados apontaram, ainda segundo a nota, que não houve, em momento algum, por parte dos profissionais envolvidos a confirmação de estupro ou mesmo do achado de esperma durante o atendimento prestado ao animal.

Está agendada para o dia 23 de março uma cirurgia para reconstrução da pelve. O procedimento, segundo a assessoria do Hospital, é de R$ 500. A protetora pede ajuda financeira para todos os moradores de Uberlândia. Segundo ela, o tratamento vai ficar em aproximadamente R$ 2 mil.

Quem quiser ajudar com qualquer quantia, pode entrar em contato com a Cibele pelo telefone (034) 9 9794-6288 ou realizar depósitos na conta bancária da protetora.

Agência: 1910

Conta: 70769-6

Operação: 013

Caixa Econômica Federal

Repórter no local: Lourival Santos

Comentários...