Polícia

GAECO deflagra Operação Poseidon, que investiga irregularidades entre DMAE e empresa de engenharia

Enviado por: Redação V9 19/02/2018

O Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (GAECO) de Uberlândia deflagrou, na manhã desta segunda-feira, 19, a Operação Poseidon. A ação é um desmembramento da denúncia, feita pelo vereador Thiago Fernandes, a respeito de um grande vazamento de água em uma estação do Departamento Municipal de Água e Esgoto (DMAE), divulgado pela TV Vitoriosa em outubro do ano passado.

A Operação Poseidon investiga os crimes de associação criminosa, falsidade ideológica, peculato, corrupção passiva e ativa e lavagem de dinheiro em contratos firmados entre o DMAE e uma empresa Araguaia Engenharia, nos anos de 2009 e 2010. O GAECO apura uma divergência em uma quantia aproximada no valor de 12 milhões de reais, que foi firmado entre as duas partes.

A 1ª fase da operação cumpriu três mandados de prisão temporária e outros três de busca e apreensão. Foram presos Manoel Calhau Neto, ex-diretor do DMAE, que ocupava o cargo na época em que os contratos foram firmados, e dois diretores da empresa Araguaia.

NOTAS

Sobre as obras do DMAE, que foram alvo de investigação do Ministério Público:
1) Em 2013, a Prefeitura de Uberlândia recebeu documento oficial da diretoria do DMAE (gestão Gilmar Machado/Orlando de Resende), atestando o bom andamento da obra e atestando a regularidade dos serviços prestados ao DMAE. O relatório afirma que 82,7% da obra estavam concluídas naquele ano (atestado em anexo).

2) Ainda na gestão de Gilmar Machado/Orlande de Resende, por mais de um ano, a empresa continuou prestando os serviços, executando as obras, sem receber nenhum tipo de pagamento.

3) A própria empresa foi quem acionou o Ministério Público sobre esses fatos acima citados, alegando que o DMAE estava dando prejuízos e impedindo a conclusão das obras, uma vez que ela foi expulsa do canteiro de obras. Em ata de audiência no Ministério Público do Estado de Minas Gerais, a empresa registrou que necessitava concluir as obras sem nenhum custo ao DMAE, uma vez que não teve a possibilidade de terminar o serviço, pois foi expulsa pela antiga administração.

4) Quanto ao servidor público citado, consta ser o mesmo concursado, com mais de 26 anos de carreira, nada desabonando sua conduta perante ao Município e perante aos seus colegas de trabalho. Exerceu cargo em comissão em várias gestões do Município, inclusive na gestão Gilmar Machado. Todos esses fatos e documentos são públicos e podem ser apresentados.

Gilmar Machado

E o ex-prefeito Gilmar Machado informou que, no início da sua gestão, no ano de 2013, foram identificadas irregularidades no contrato firmado entre o Dmae e Araguaia Engenharia. Logo que tomou conhecimento as irregularidades foram repassadas ao Ministério Público Estadual. Em seguida a gestão de Gilmar Machado deu sequência nos procedimentos administrativos internos da prefeitura e autarquia para cancelar o contrato irregular que havia sido firmado entre a gestão do atual prefeito e a empresa Araguaia Engenharia. Desde a apresentação das irregularidades e cancelamento do contrato a gestão de Gilmar Machado aguardava as investigações do Ministério Público e as devidas punições aos responsáveis por estes contratos. O ex-prefeito Gilmar Machado fica feliz que o Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco) tenha tomado a frente destas investigações e esteja agora prendendo os responsáveis por este crime contra os cofres públicos do município. O ex-prefeito assim como toda a população de Uberlândia espera que os responsáveis por este suposto desvio de dinheiro sejam julgados e penalizados pelos crimes cometidos.

Comentários...