Polícia

“Operação Aquiles” investiga esquema de tráfico de drogas, corrupção e lavagem de dinheiro em Uberlândia e mais 7 cidades

Enviado por: Darah Gomes 02/12/2019

(Imagem: PMMG/Divulgação)

O Grupo de Ação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) de Patos de Minas deflagrou a “Operação Aquiles” na manhã desta segunda-feira, 2, com apoio de militares de Uberlândia e Uberaba. Durante as ações, a polícia cumpriu 38 mandados de busca, apreensão e prisão expedidos pela Justiça Estadual de Monte Carmelo.

O objetivo da Operação era investigar uma quadrilha envolvida no tráfico de drogas, comércio ilegal de arma de fogo e medicamentos abortivos, anfetaminas, além de homicídios, corrupção e lavagem de dinheiro. Segundo policiais, as ações começaram em fevereiro desse ano e contou com interceptação telefônica e outras medidas investigativas. Nesse tempo, 38 suspeitos de envolvimento no esquema criminoso foram identificados.

(Imagem: PMMG/Divulgação)

De acordo com as investigações, a quadrilha era comandada por dois indivíduos, sendo que um deles estava cumprindo regime semi-aberto na Penitenciária Professor Aluízio Ignácio de Oliveira, em Uberaba. Ao sair do presídio de manhã, o suspeito se dedicava o resto do dia as ações criminosas, sendo o responsável por distribuir cocaína e crack para diversas cidades de Minas Gerais. A polícia afirma que o suspeito contava com a ajuda da esposa e de duas filhas para fazer o transporte dos entorpecentes e cuidar das finanças. Já o outro suspeito de comandar o esquema tinha o trabalho de manter um laboratório de drogas.

Um terceiro envolvido foi apontado como chefe da revenda das drogas. Ele comprava o material dos dois suspeitos e comercializava em Monte Carmelo, Estrela do Sul, Iraí de Minas, Coromandel, Abadia dos Dourados e outras cidades. Segundo as apurações, o homem também é suspeito de revender armas de fogo e munições ilegalmente.

(Imagem: PMMG/Divulgação)

Em Prata, outro homem também foi investigado por revender os entorpecentes e comandar um esquema criminoso na cidade.

A polícia apurou que os envolvidos na quadrilha investiam em imóveis, carros de luxo e cavalos de raça para despistar a origem ilícita do dinheiro que recebiam.

A Operação foi desencadeada em Monte Carmelo, Coromandel, Patrocínio, Uberaba, Delta, Prata e Uberlândia. As ações contam com 173 policiais, aeronaves, drones, cães, Promotes de Justiça e analistas do Ministério Público.

Material apreendido:

Comentários...