Fibromialgia

Redação V9

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Redação V9

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Legenda da foto

Fibromialgia é uma doença reumatológica que afeta a musculatura causando dor. Essa síndrome além da dor está associada a outros sintomas, como fadiga, alterações do sono, distúrbios intestinais, depressão e ansiedade. A prevalência na população está entre as mulheres que é em torno de 2,5% entre 35 e 44 anos de idade.

A grande complicação da fibromialgia por falta de conhecimento e tratamento adequado é o impacto na qualidade de vida. Uma das maiores queixas é a falta de apoio da família e de reconhecimento que a dor existe.

Os principais sintomas são: dor intensa ao toque, devido ao aumento da sensibilidade; cansaço freqüente; alterações do sono; enrijecimento muscular, principalmente ao acordar; problemas de memória e concentração; sensação de formigamento nas mãos e nos pés.

Imagem da internet

A fibromialgia pode aparecer depois de eventos graves na vida de uma pessoa, como um trauma físico, psicológico ou mesmo uma infecção grave, o que pode impactar diretamente na vida pessoal e profissional da pessoa afetada. O mais comum é que o quadro comece com uma dor localizada crônica, que progride para envolver todo o corpo.

A fibromialgia afeta a pessoa em termos físicos, psicológicos e sociais. As terapêuticas multidisciplinares, que combinem programas de exercício físico, o controlo da dor, o tratamento do sono, apoio psicológico e terapias complementares, assumem-se como a melhor estratégia.

O tratamento psicológico é indispensável uma vez que a doença pode ser diretamente relacionada a fatores emocionais. O psicólogo pode ajudar no tratamento da fibromialgia tanto na aderência ao tratamento médico, sempre necessário, como no trabalho junto à depressão, ansiedade e situações traumáticas que podem ter originado o quadro.

Imagem da internet

O acompanhamento psicoterápico viria a contribuir no sentido de trazer benefícios às pessoas como: aprender a conviver com a dor e melhorar a qualidade de vida, visto que estes pacientes enfrentam um grande desafio ao lidar com esta síndrome, pois traz muitas complicações a sua saúde e que conseqüentemente afetam seu ritmo de vida social, familiar, psicológico e em alguns casos reduz seu rendimento profissional em função das dores.

Os tratamentos psicológicos podem incluir uma variedade de abordagens tais como psicoterapia, aconselhamento, gerenciamento da dor e estresse,  relaxamento, estratégias de reação e outras técnicas. Uma a uma das intervenções psicológicas e da terapia de grupo podem ser empregadas para ajudar os pacientes a desenvolver melhores mecanismos de enfrentamento e aprimorar suas perspectivas.

Acredita-se deste modo que a psicologia tem muito a contribuir para com estes pacientes, visto que a formação deste profissional lhe permite compreender as implicações psicológicas na Síndrome da Fibromialgia.

LEIA TAMBÉM!