Setembro Amarelo

Redação V9

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Redação V9

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Legenda da foto

O Setembro Amarelo é o mês de conscientização sobre a prevenção do suicídio, buscando alertar a população sobre esse grave problema e formas de evita-lo.

Uma campanha de extrema importância, uma vez que o suicídio é um problema grave de saúde pública e que, muitas vezes, pode ser evitado.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), 32 pessoas se suicidam por dia no Brasil, o que significa que o suicídio mata mais brasileiros do que doenças como a AIDS e o câncer.

As campanhas disponibilizam informações e opções de tratamento, visando a reduzir o tabu que faz com que muitas pessoas evitem falar sobre suicídio e buscar ajuda. O suicídio pode ter diversas causas, mas alguns casos estão associados a transtornos psicológicos como depressão, bem como do consumo de drogas.

Algumas dicas de como identificar alguém que precisa de ajuda e corre risco de suicídio : apresentar comportamento retraído, dificuldades para se relacionar com família e amigos; ter casos de doenças psiquiátricas como: transtornos mentais, transtornos de humor (depressão, bipolaridade), transtornos de comportamento pelo uso de substâncias psicoativas (álcool e drogas), transtornos de personalidade, esquizofrenia e ansiedade generalizada; apresentar irritabilidade, pessimismo ou apatia;  presentar sentimento de culpa, sentir-se sem valor ou com vergonha por algo; apresentar sentimentos de solidão, impotência e desesperança; falar repentinamente sobre morte ou suicídio.

Para ajudar uma pessoa com comportamentos suicidas, algumas ações são fundamentais, como: ouvir,  ser afetuoso e dar o apoio necessário; levar a situação a sério e verificar o grau de risco; perguntar sobre tentativas de suicídio ou pensamentos anteriores; remover os meios para o suicídio em casos de grande risco; permanecer ao lado da pessoa com o transtorno; procurar entender os sentimentos da pessoa sem diminuir a importância deles; aceitar a queixa da pessoa e ter respeito por seu sofrimento; demonstrar preocupação e cuidado constante.

A grande maioria das mortes por suicídios podem ser evitadas e o diálogo sobre o assunto é o melhor jeito de fazer isso. Se você ou alguém que você conhece possui pensamentos suicidas, peça ajuda, procure um profissional na área da saúde.

 “Falar é a melhor solução” 

LEIA TAMBÉM!