Agosto registrou maior inflação para o mês desde 2000; saiba quais são os 9 vilões que pressionam seu bolso em 2021

Redação V9

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Redação V9

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Legenda da foto

O Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) — que mede a inflação oficial do país –, desacelerou para 0,87% em agosto ante 0,96% no mês anterior. Ainda assim, é o maior valor para o mês desde o ano 2000, segundo dados divulgados nesta quinta (9) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O aumento do IPCA ganhou corpo ao longo da pandemia. Em um primeiro momento, houve disparada de preços de alimentos e, em seguida, avanço de combustíveis. Alta do dólar, estoques menores e avanço das commodities ajudam a explicar o comportamento dos preços.

Não bastasse essa combinação, a crise hídrica também passou a ameaçar o controle da inflação neste ano. Com a escassez de chuva, as usinas termicas tem o acionamento forçado, o que eleva os custos de geração de energia elétrica. O reflexo é a conta de luz mais cara nos lares brasileiros.

Saiba quanto subiram alguns produtos desde o início de 2021:

  • Etanol – 40.75%
  • Gasolina – 32.09%
  • Açúcar – 27.11%
  • Gás de cozinha – 23.79%
  • Café moído – 17.72%
  • Frango em pedaços – 17.09%
  • Feijão mulatinho – 13.49%
  • Acém – 13.49%
  • Energia – 10.61%

LEIA TAMBÉM!