Estados enfrentam falta da vacina AstraZeneca para aplicação da 2ª dose

Redação V9

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Redação V9

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Legenda da foto

São Paulo espera receber nova remessa na próxima semana

Pelo menos cinco estados brasileiros já enfrentam a falta da vacina da AstraZeneca para aplicação da segunda dose. Em São Paulo, o governo estadual pretende acionar o Supremo Tribunal Federal (STF) caso não receba, do Ministério da Saúde, 1 milhão de doses do imunizante até terça (14.set).

Já são mais de 24 horas da mesma saga. Só na capital paulista, 200 mil pessoas estão com a segunda dose de AstraZeneca em atraso, segundo a prefeitura, por causa da falta do imunizante. Número que aumenta dia após dia, enquanto não há reposição do estoque. “Na segunda (13.set) são 140 mil doses. Portanto, até segunda, teremos 340 mil doses faltando”, disse o prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes (MDB).

A expectativa é que, no começo da próxima semana, o município recebe uma nova remessa da AstraZeneca. Nesta sexta (10.set), quase 100% dos postos de vacinação da capital já não tinham mais nenhuma dose do imunizante. O desabastecimento não se limita à cidade. Segundo Executivo paulista, todos os 645 municípios estão sem vacina. O governador João Doria (PSDB) disse que 1 milhão de doses estão em atraso.

“Nós já enviamos dois ofícios ontem ao Ministério da Saúde solicitando que providencie a entrega das vacinas. E repito: se não tiver AstraZeneca, que entregue a vacina da Pfizer”, acrescentou Doria. O problema é que, em 133 dos mais de 500 postos de vacinação da capital paulista, o imunizante da Pfizer também já está em falta. Na quinta (9.set), a cidade chegou a receber 255 mil doses, o que, segundo a prefeitura, ainda não é o suficiente.

Se para alguns falta, para outros, teve vacina além da conta. Uma mulher recebeu seis doses da Pfizer, de uma só vez, no Instituto Emílio Ribas, um dos mais respeitados no Brasil. A aplicação foi feita acidentalmente por uma técnica de enfermagem, no último domingo (5.set). O hospital disse que vai apurar o caso junto ao Conselho de Ética de Enfermagem (Cofen).

Veja reportagem do SBT Brasil:

LEIA TAMBÉM!