MP investiga gastos indevidos de R$ 20 milhões contra Covid-19 no interior de SP; por que não investigar Uberlândia, a cidade campeã de mortes por milhão

Redação V9

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Redação V9

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Legenda da foto

A operação Mar Revolto, do Ministério Público, apura gastos indevidos da Prefeitura de São Sebastião contra o Covid-19. Na manhã desta terça-feira (31), a ação mobilizou 18 promotores, sete servidores, 110 policiais militares.

O prefeito de São Sebastião, Felipe Augusto, acordou com a visita do Ministério Público (MP) em sua casa, na manhã desta terça-feira (31). Felipe foi alvo da operação Mar Revolto, que investiga fraude em licitações, corrupção e lavagem de dinheiro nas contratações de serviços, produtos e equipamentos hospitalares destinados ao enfrentamento da Covid-19 no município.

A ação contou com apoio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e cumpriu 27 mandados de busca e apreensão na sede da Prefeitura, Secretaria de Saúde, Hospital de Clínicas, Conselho Municipal de Saúde e na Fundação de Saúde. Além de empresas que forneceram produtos e serviços ao município e residências de agentes públicos e empresários, entre eles a ex-secretária de Saúde, Ana Soares, e o atual secretário e vice-prefeito, Reinaldinho Moreira.

A cidade de Uberlândia que em recente levantamento, tem proporcionalmente, mais mortes por milhão de habitantes do que quase todos os países, mesmo tendo recebido grande aporte de recursos para o combate a pandemia de Covid-19, ainda não foi alvo de investigações do MP. Porquê?

LEIA TAMBÉM!