Onda de frio pode encarecer preços de frutas, hortaliças e café

Redação V9

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Redação V9

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Legenda da foto

Agricultores vão repassar perdas em lavouras para consumidores; especialistas ainda fazem as contas

A previsão do tempo aponta para a chegada de uma nova massa de ar frio no país, principalmente no sul e sudeste, a partir desta quarta (28.jul) com queda de temperatura e geada.

A previsão preocupa os agricultores que já fazem as contas dos futuros estragos e perdas nas plantações, principalmente de hortaliças, frutas e café. Além disso, lavouras de milho, mandioca, cana-de-açúcar e banana também serão prejudicadas.

O efeito do clima no campo chegará ao bolso do consumidor, com o aumento de preços dos produtos. No Paraná, segundo a Confederação Nacional da Agricultura, o frio já traz danos desde o início do mês de julho. De acordo com o analista Marcelo Garrido, do Departamento de Economia Rural (Deral) da Secretaria Estadual de Agricultura e Abastecimento (Seab), no momento, as principais culturas agrícolas em campo são o milho e o trigo. “Temos uma área [de milho] bastante suscetível ao frio na região Norte do Estado, perto de 800 mil hectares.

Na região Sul já não tem milho segunda safra, é mais trigo, que aguenta melhor as baixas temperaturas”, observa. No entanto, segundo Garrido, ainda é cedo para quantificar os prejuízos. “Para falar em perdas seria necessário entre uma semana e dez dias para verificar o real impacto na produção”, avalia.

O Ministério da Agricultura também está fazendo levantamentos através da Companhia Nacional de Abastecimento. Os produtores de café deverão ser os primeiros a ter ajuda. Segundo Monitoramento de Geadas da Conab 200 mil hectares já foram atingidos e destruídos em mais de 300 municípios.

Em nota, a Conab informa que em São Paulo e no Paraná, o risco é de geada moderada e forte, que poderá atingir lavouras de milho 2ª safra em enchimento de grãos e de trigo em floração. Em Santa Catarina e no Rio Grande do Sul, as lavouras de trigo estão em estádios menos suscetíveis aos danos causados por geadas.

Em relação ao milho 2ª safra, a Conab avalia que deve haver redução da produção em função da restrição hídrica e da geada nas lavouras em estádios de floração e enchimento de grãos no Mato Grosso do Sul, São Paulo e Paraná. 

Para o trigo, a expectativa também é de que haja diminuição devido à restrição hídrica em Goiás e da geada nas lavouras em estádios mais avançados em Mato Grosso do Sul, São Paulo e oeste do Paraná. Nos demais estados, as condições são favoráveis. 

No caso da cana-de-açúcar, houve queima das folhas de parte dos canaviais do centro-sul do país, acentuando as perdas já causadas pelo estresse hídrico. As unidades de produção sucroalcooleiras estão adiantando as operações de colheita para estimular a rebrota dos canaviais e minimizar as perdas da produção. 

SBT NEWS

LEIA TAMBÉM!