Saiba quais países estão aceitando turistas brasileiros e o que é exigido

Redação V9

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Redação V9

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Legenda da foto

Comprovante de vacinação contra covid-19 e teste PCR são alguns dos requisitos para ingresso

Com o avanço da campanha de vacinação contra covid-19 ao redor do mundo, muitos países estão reabrindo suas fronteiras e aceitando turistas.

No entanto, a entrada para viajantes procedentes do Brasil ainda enfrenta uma certa resistência, já que a situação pandêmica no país continua sendo considerada de “alto risco” por diversas nações.Comprovantes de vacinação, formulários virtuais e testes RT-PCR ou de antígeno são alguns dos requisitos para ingressar nos territórios estrangeiros.

Mas, afinal, viajar durante a pandemia é seguro? Para a infectologista Keilla Mara Freitas é muito cedo para afirmar, já que o surto de contágio ainda não foi controlado e a transição entre os países pode resultar em novas cepas por meio de mutações virais.”Ainda assim, se alguém precisar sair do país, a orientação é que esteja vacinado”, aconselha.

“Vale ressaltar também que as medidas de segurança, como higienização das mãos e uso de máscara, devem continuar em vigor para que se minimize ao máximo as chances de contrair o vírus, bem como as chances de complicação em caso de infecção.”

Até o momento, as vacinas aprovadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS) que auxiliam no reconhecimento da imunização contra covid-19 são AstraZeneca, CoronaVac, Janssen, Moderna, Pfizer e Sinopharm.

Em julho, o consórcio Covax Facility, coordenado pela OMS, fez um pedido para que todos os países que planejam uma reabertura aceitem a entrada de viajantes que receberam a imunização completa com alguma das seis vacinas. Com isso, a Agência Europeia de Medicamentos (EMA, na sigla em inglês) segue analisando o imunizante da CoronaVac, produzido pelo laboratório Sinovac em parceria com o Instituto Butantan, para a aprovar a liberação.

O órgão também criticou a exigência de comprovante de vacinação para entrada de estrangeiros, devido à desigualdade de imunização que países mais pobres enfrentam. Elaborado pelo deputado Geninho Zuliani (DEM-SP), o Projeto de Lei 1158/21, que visa a criação de um passaporte sanitário no país, também vem sendo criticado por especialistas pela mesma razão.

Confira as exigências para procedentes do Brasil:

África:

África do Sul:

Turistas brasileiros já podem visitar o país. Para isso, é preciso apresentar um certificado de teste PCR com resultado negativo feito até 72 horas antes do embarque, além de uma “declaração de saúde”, que deve ser preenchida virtualmente dois dias antes da viagem.

Passageiros que, por alguma razão, ingressam no país sem apresentar o resultado negativo devem realizar o teste PCR na chegada. Caso o resultado seja positivo, o viajante deverá cumprir o período de isolamento social de dez dias.

Egito:

O país está aceitando brasileiros com o ciclo vacinal completo há, no mínimo, 14 dias. Para entrar no país, é preciso apresentar o comprovante de imunização com o código QR (CoronaVac, Pfizer, AstraZeneca, Janssen, Moderna, Sinopharm ou Sputnik V) e preencher o formulário “Public Health Card”, da Organização Mundial da Saúde.

Os viajantes não vacinados podem apresentar um teste PCR impresso com resultado negativo, realizado ao menos 96 horas antes do embarque. A medida não se aplica a menores de seis anos.

Etiópia:

Para ingressar no território, o passageiro brasileiro deverá fornecer um teste PCR negativo, feito nos cinco dias anteriores. O resultado deve ser registrado e validado por meio dos sistemas Africa Union Trusted Travel ou UNDP Global Haven. Após a aprovação, será gerado um código de referência digital Trusted Travel, que deve ser anexado e apresentado junto ao resultado do teste.-

Marrocos:

Viajantes completamente vacinados há pelo menos 14 dias poderão entrar no país apresentando o certificado de imunização (CoronaVac, Pfizer, AstraZeneca, Janssen, Covishield ou Sputnik V) e o resultado negativo do teste PCR, realizado ao menos 48h antes do embarque.

Os imunizados não precisarão cumprir a quarentena.Passageiros não vacinados ou incompletamente vacinados também deverão apresentar o resultado negativo do teste de covid-19, além de ter que cumprir o período de isolamento de dez dias em um dos hotéis aprovado pelo governo marroquino.Todos os viajantes deverão preencher o “Public Health Card” e apresentar o documento impresso quando chegarem ao país. Menores de 11 anos não precisam realizar o exame PCR.

América do Norte

México:

Para ingressar em território mexicano é preciso apenas apresentar o questionário de identificação de fator de risco. Após o desembarque, todos os passageiros serão submetidos a exames de saúde, como verificação de temperatura e avaliação visual. Outros testes de saúde ou quarentena podem ser necessários para aqueles que apresentarem sintomas de covid-19.

América do Sul-

Colômbia:

Turistas brasileiros deverão apenas preencher e apresentar o formulário “Check Mig” na chegada do destino. As autoridades dispensaram a obrigatoriedade da apresentação do exame PCR nos aeroportos e rodoviárias. No entanto, caso o passageiro apresente sintomas de covid-19, ele poderá ser submetido a exames de saúde.Aqueles que visitaram a Índia nos 14 dias anteriores não poderão entrar, exceto residentes colombianos.-

Paraguai:

Para visitar o país é necessário apresentar um teste LAMP, NAAT ou PCR com resultado negativo, realizado até 72h antes do primeiro embarque da jornada. Passageiros com teste positivo para covid-19 realizado há pelo menos 14 dias e não mais que 90 dias estão isentos de efetuar os exames, bem como menores de 11 anos.

Além disso, um formulário de saúde do viajante deve ser preenchido virtualmente dentro de 24 horas após a entrada no Paraguai. Todos os passageiros devem realizar o isolamento social de, no mínimo, cinco dias.

Ásia

Afeganistão:

Para entrar no país asiático é preciso apresentar o resultado do teste PCR negativo para covid-19 feito até 96 horas antes do embarque no último voo direto para o Afeganistão. O documento deve estar em inglês ou persa. Menores de oito anos não precisam realizar o exame.-

Bangladesh:

Viajantes procedentes do Brasil devem mostrar o resultado negativo do teste PCR, realizado até 72h antes do primeiro embarque da jornada — não se aplica a menores de dez anos. Além disso, o passageiro deve preencher o formulário “Health Declaration Form” e apresentá-lo impresso na chegada ao país, bem como o comprovante da reserva de um hotel para cumprir o período de quarentena de 14 dias.

Europa

Finlândia:

O território nórdico está aceitando brasileiros vacinados e não vacinados que contemplem uma das exceções: cidadãos finlandeses; familiares (cônjuges, filhos menores, pais de filhos menores); cidadãos da União Europeia com residência no país; cidadãos de países terceiros com autorização de residência; e estrangeiro com razões essenciais para a viagem.

Para entrar no país, é preciso apresentar um comprovante de imunização (Coronavac, Pfizer, Moderna, AstraZeneca, Janssen, Sinopharm ou Covishield) e um teste negativo PCR ou antígeno realizado nas 72 horas que antecedem a entrada na Finlândia.

Um laudo com diagnóstico de covid-19 nos últimos seis meses também poderá ser aceito. Todos os documentos devem estar traduzidos para o inglês.Após o desembarque, os passageiros de países de alto risco — como o Brasil — serão direcionados automaticamente para a realização de um exame de saúde obrigatório.-

França:

Para ingressar no país, o brasileiro deve apresentar um comprovante de imunização (Pfizer, Moderna, AstraZeneca ou Janssen) e uma declaração que garanta não apresentar nenhum sintoma de infecção pela covid-19 e não ter tido contato com pessoas que testaram positivo para a doença.

Após desembarcar, não é preciso cumprir quarenta.Já os viajantes não vacinados deverão apresentar às autoridades de fiscalização um documento que comprove o motivo da viagem, assim como um teste PCR, ou de antígeno, com resultado negativo, realizado ao menos 48 horas antes do embarque.

Além disso, os turistas não vacinados deverão passar por um período de isolamento — de acordo com as especificações decretadas por cada governo regional — logo após o ingresso no território francês. Outras informações podem ser consultadas pelo site da Embaixada da França no Brasil. –

Irlanda:

O país está aceitando a entrada de viajantes brasileiros com comprovante de vacinação (Pfizer, Moderna, AstraZeneca ou Janssen) e teste PCR com resultado negativo, realizado menos de 72 horas antes da chegada no território. Ao desembarcar, não é preciso cumprir o isolamento social.

A imunização só é considerada completa pelas autoridades locais após os seguintes prazos: 15 dias após a segunda dose da AstraZeneca; sete dias após a segunda dose da Pfizer; e 14 dias após a segunda dose da Moderna ou da dose única da Janssen.

Já para os não vacinados, será necessário a apresentação de um teste PCR negativo, também realizado ao menos 72 horas antes do desembarque. Ao chegar, o viajante deverá cumprir a quarentena de 14 dias em um dos hotéis autorizados pelo governo irlandês. –

Suíça:

Turistas brasileiros com o ciclo vacinal completo (CoronaVac, Pfizer, Moderna, Janssen, AstraZeneca) já podem ingressar em território suíço. A entrada é permitida 11 dias após a aplicação da segunda dose das vacinas aceitas. Já os vacinados com o imunizante de dose única da Janssen devem aguardar 22 dias após a data de vacinação para embarcar.

Os viajantes devem apresentar o comprovante de imunização em papel, fornecido pelo posto de vacinação brasileiro, além de preencherem um formulário eletrônico antes de embarcarem para o país.

Segundo a Embaixada da Suíça em Brasília, as restrições de entrada permanecem em vigor para estrangeiros não vacinados que não têm direito à livre circulação e que desejam entrar em Estados e regiões de risco.Países como Alemanha, Espanha, Holanda, Itália, Portugal e Reino Unido estão permitindo apenas a entrada de estrangeiros com viagens essenciais, que possuírem parentesco com os cidadãos locais ou que comprovarem residência oficialmente fixada. Em todos os casos, o viajante procedente do Brasil deve realizar o teste de covid-19 antes de embarcar e após chegar ao local de destino, além de permanecer em isolamento de, no mínimo, dez dias.

LEIA TAMBÉM!