Apático, Palmeiras cai diante do Vitória e fica mais longe do bicampeonato

Redação V9

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Redação V9

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Legenda da foto
Palmeiras perde feio no Barradão e fica mais longe do Corinthians na briga pelo título do Brasileiro Fonte: Reprodução

Se existia algum palmeirense ainda esperançoso com a conquista do Campeonato Brasileiro, não existe mais. Nesta quarta-feira, o Verdão foi derrotado pelo Vitória, pior mandante da competição, por 3 a 1 no Barradão, e passa a se preocupar mais com a classificação direta à Copa Libertadores.

Sem Borja, Willian e Deyverson, Alberto Valentim optou por escalar Erik como falso 9 do Palmeiras nesta quarta-feira. O posicionamento do atacante, no entanto, parece não ter sido combinado com os companheiros. Logo nos primeiros minutos, Moisés, Dudu e Bruno Henrique tentaram lançamentos pelo alto para o camisa 14, de apenas 1,72m, que não conseguiu vencer os zagueiros rubro-negros.

Vagner Mancini também teve problemas para montar o Vitória, que não contou com Neilton, suspenso, nessa noite. Assim, o treinador optou pela entrada de Uillian Correia, reforçando o meio-campo com três volantes, o que deu resultado logo aos cinco minutos.

O camisa 7 roubou na intermediária, avançou sob os olhares inertes de Tchê Tchê e Bruno Henrique, e abriu para Patric. O lateral cruzou na área, Tréllez antecipou Dracena e rolou para Yago, que chutou forte, sem chances para Fernando Prass.

Uma falha coletiva do Palmeiras proporcionou ao Vitória o seu primeiro gol, e um erro individual permitiu o segundo. Tréllez usou o corpo para girar em cima do zagueiro Juninho, avançou conduzindo a bola desde o meio-campo e bateu por entre as pernas de Fernando Prass. Outro problema claro apontado pelo tento rubro-negro é o posicionamento da linha defensiva do Palmeiras sob o comando de Alberto Valentim, que ordena os zagueiros alviverdes no centro do campo, propiciando chances claras aos adversários em caso de erro defensivo.

Do time palmeirense, Keno era o mais lúcido. Chamando a responsabilidade por meio de jogadas individuais, o camisa 28 driblou Geferson na lateral da área e fez o cruzamento. A bola desviou no marcador e caiu na cabeça de Dudu, que nem precisou saltar para mandar para o gol e diminuir a vantagem dos mandantes.

O Palmeiras chegou a equilibrar a partida no Barradão, mas sofreu o terceiro gol aos 39 minutos. David foi lançado por trás da zaga, Mayke levou seu terceiro drible por entre as pernas em duas partidas, e o atacante rubro-negro tocou na entrada da área. Juninho chegou dividindo, a bola bateu em Dracena e sobrou para Yago, que cortou Tchê Tchê e mandou para as redes.

Logo após o lance, uma jogada deu mostras da situação alviverde em campo. Dudu tentou dominar um passe simples, rasteiro, na lateral do campo, mas deixou a bola sair. Aparentando desespero, Valentim sacou Bruno Henrique no intervalo e promoveu a entrada do garoto Fernando, que fez sua estreia pelo Alviverde.

O garoto alviverde entrou disposto a mostrar serviço, e, com apenas um minuto em campo, já arriscou sua primeira finalização, que foi longe da meta de Fernando Miguel. Do outro lado, o Vitória só não marcou o quarto pela defesa de Fernando Prass, que impediu o gol de Tréllez, de cabeça.

Se não conseguia criar chances de marcar, o Palmeiras esteve perto do segundo em lance que seria gol contra de Wallace. Moisés lançou Erik, o zagueiro fez o corte, mas mandou contra a própria meta, obrigando Fernando Miguel a se esticar para fazer a defesa. No rebote, Moisés chutou em cima da zaga.

Com 15 jogados, Alberto Valentim sacou o improdutivo Erik e colocou o desatento Róger Guedes em campo. O camisa 23, muito longe das atuações que apresentava em 2016, não conseguiu jogar e chegou a ter o posicionamento corrigido por Dudu em campo.

A esperança verde reacendeu aos 18, quando Uillian Correia fez falta por trás em Dudu, recebeu o segundo cartão amarelo e foi expulso. Valentim ainda tentou um último ato colocando Guerra na vaga de Keno, que não manteve o bom nível da primeira etapa.

O venezuelano ainda balançou as redes no último minuto do período regulamentar, mas o tento foi anulado. Guerra (que não) estava impedido quando pegou a sobra do chute de Tchê Tchê, que acertou Moisés com a finalização.

VITÓRIA 3 X 1 PALMEIRAS

VITÓRIA

Fernando Miguel; Patric, Kanu, Wallace e Geferson; José Welison (Carlos Eduardo), Uillian Correia e Filippe Souto (Ramon); Yago (René); David e Trellez

Técnico: Vágner Mancini

PALMEIRAS

Fernando Prass; Mayke, Edu Dracena, Juninho e Egídio; Bruno Henrique (Fernando), Tchê Tchê e Moisés; Keno (Guerra), Dudu e Erik (Róger Guedes)

Técnico: Alberto Valentim

Local: Estádio Barradão, em Salvador

Data: 08 de novembro de 2017, quarta-feira

Árbitro: Dewson Fernando Freitas da Silva (Fifa)

Assistentes: Hélcio Araújo Neves e Jose Ricardo Guimaraes Coimbra

Cartões amarelos: Yago, René e José Welison (VITÓRIA); Mayke (PALMEIRAS)

Cartão vermelho: Uillian Correia (dois amarelos) (VITÓRIA)

GOLS: Yago, aos 5, Tréllez, 14 e Yago, aos 39min do 1ºT; Dudu, aos 19min do 2ºT

Superesportes

LEIA TAMBÉM!