Atlético ‘acorda’ após entrada de Luan, vira sobre o lanterna e segue sonhando com vaga na próxima Copa Libertadores

Redação V9

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Redação V9

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Legenda da foto
Luan comemora gol marcado na noite desta quinta-feira; meia-atacante mudou a ‘cara’ da partida Fonte: Juarez Rodrigues/E.M/D.A.Press

No embalo de Luan, o Atlético conquistou uma importante vitória sobre o lanterna Atlético-GO, na noite desta quinta-feira, no Independência. Depois de sair para o intervalo perdendo por 2 a 1, o Galo voltou com o ‘maluquinho’ em campo e virou a partida. Marcaram para o Galo Fábio Santos, Luan e Fred, enquanto Diego Rosa e Andrigo fizeram os gols dos visitantes. Com o triunfo em casa por 3 a 2, o Alvinegro segue sonhando com uma vaga na Copa Libertadores e se afastou ainda mais da parte de baixo da tabela.

O primeiro tempo do Galo foi ruim. O Alvinegro não conseguiu quebrar a marcação dos goianos e sofreu com seus erros. O resultado adverso na etapa inicial irritou os torcedores. Na etapa final, após a entrada de Luan, que deu mais intensidade ao time, o Atlético melhorou, principalmente pelo lado direito, de onde saíram os dois gols que garantiram o triunfo.

Com o resultado positivo em casa, o Galo soma agora 45 pontos. O Atlético subiu para a 10ª posição. A vitória foi fundamental, principalmente porque concorrentes diretos (Botafogo, Flamengo, Bahia e Vasco) venceram na rodada. Já o time goiano segue na lanterna.

O Galo volta a campo no próximo domingo, às 18h, contra o Bahia, na Fonte Nova. No mesmo dia, às 17h, o Atlético-GO recebe o Sport no estádio Olímpico.

O jogo

O técnico Oswaldo de Oliveira optou por Valdívia na vaga do suspenso Otero. Foi a única mudança em relação à equipe derrotada pelo Santos no último sábado. O técnico apostou na continuidade para conseguir um bom resultado diante do lanterna no Independência. Mas o primeiro tempo alvinegro esteve longe de convencer o torcedor.

O Atlético-GO começou o jogo marcando forte, forçando o Galo ao erro. E assim, logo aos 5′, abriu o placar. Com boa troca de passes pelo lado direito, Jorginho foi lançado nas costas de Fábio Santos e, livre, cruzou para cabeçada de Diego Rosa na entrada da pequena área: 0 a 1. O torcedor alvinegro não perdoou o lance e começou a direcionar as primeiras vaias aos 6 minutos de jogo. O primeiro alvo foi Valdívia.

O time goiano se fechou, recuou suas linhas e chamou o Galo para seu campo. Na primeira chance, Fábio Santos tabelou com Robinho e Fred, saiu na cara do gol, mas Kléver fez grande defesa e salvou. Pouco depois, após cruzamento na área, Fred foi atingido pelo braço de Gilvan. Pênalti. Na cobrança, Fábio Santos deslocou o goleiro e empatou: 1 a 1.

Apesar de ter igualado o marcador, o Galo não conseguia se sobressair em campo. A boa marcação dos goianos forçava o erro de passe do time mineiro. Não bastasse isso, o Atlético-GO voltou a ficar à frente no placar. Andrigo cobrou falta em cima da barreira. Ele mesmo pegou o rebote e acertou lindo chute, de primeira, no canto de Victor: 1 a 2.

O torcedor atleticano voltou a vaiar e a reclamar dos jogadores. A equipe alvinegra tentava, mas o bloqueio goiano estava quase intransponível. E nas raras investidas no ataque, o time visitante levava perigo. Ainda no fim da etapa inicial, o time alvinegro mostrou todo o seu nervosismo em campo. Após falta sofrida no meio-campo, Adilson foi cobrar cartão ao árbitro Rodolpho Toski Marques, mas acabou sendo advertido com o amarelo. Robinho foi tomar as dores do companheiro e também foi amarelado. Foram cinco cartões apenas no primeiro tempo.

Para a etapa final, Luan entrou no lugar de Cazares. Adilson, que se chocou com Gabriel no fim do primeiro tempo e teve um sangramento na cabeça, foi substituído por Yago. As mudanças surtiram efeito. O Galo voltou melhor na etapa final, com boas tramas pelo lado direito. E por lá, aos 5′, surgiu o gol o empate. Marcos Rocha cobrou o lateral na área, Luan subiu sozinho e tocou de cabeça para as redes: 2 a 2.

O Atlético melhorou a marcação e continuou em cima. Pelo lado direito, criava as principais jogadas. Em troca de passes, Marcos Rocha quase encontrou Fred livre. Em outro lance, Valdívia e Fred tentaram, mas a finalização saiu fraca. De tanto insistir, o camisa 9 foi premiado. Aos 19′, Fábio Santos fez linda inversão de bola para Robinho. O camisa 7 dominou, arrancou, deixou marcadores para trás e abriu na direita para Fred. O artilheiro finalizou, a bola desviou e encobriu Kléver: 3 a 2.

Depois da virada, o Atlético ainda desperdiçou alguns contra-ataques. O Atlético-GO foi para a pressão, encurralou o Alvinegro em seu campo defensivo, mas não conseguiu o gol do empate no Independência.

ATLÉTICO 3 X 2 ATLÉTICO-GO

Atlético

Victor, Marcos Rocha, Leonardo Silva, Gabriel e Fábio Santos; Adilson (Yago) e Elias; Cazares (Luan), Robinho e Valdívia (Gustavo Blanco); Fred

Técnico: Oswaldo de Oliveira

Atlético-GO

Kléver, Jonathan, Gilvan, William Alves e Breno Lopes; Marcão Silva, Igor (Pedro Henrique), Jorginho, Andrigo (Paulinho) e Luiz Fernando; Diego Rosa (Niltinho)

Técnico: João Paulo Sanches

Gols: Diego Rosa, aos 5, Fábio Santos, aos 16, Andrigo, aos 26 minutos do primeiro tempo; Luan, aos 5, Fred aos 19,

Cartões amarelos: Leonardo Silva, Cazares, Fred, Adilson, Robinho, Marcos Rocha (CAM); Gilvan, Diego Rosa, Luiz Fernando, Jonathan (ATL)

Motivo: 33ª rodada do Campeonato Brasileiro

Local: estádio Independência, em Belo Horizonte

Público: 8.204

Renda: R$ 110.055,00

Data e hora: quinta-feira, 9 de novembro, às 20h

Árbitro: Rodolpho Toski Marques – PR (FIFA)

Assistentes: Bruno Boschilia – PR (FIFA) e Victor Hugo Imazu dos Santos – PR (CBF)

Superesportes

LEIA TAMBÉM!