Atlético-MG não resiste e perde para o líder Corinthians pelo Brasileiro

Redação V9

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Redação V9

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Legenda da foto
A torcida fez a parte dela. A diretoria trocou o Independência pelo Mineirão e os torcedores foram em grande número apoiar o time. Mais de 45 mil pessoas viram um Atlético que lutou mas teve com dificuldades frente ao organizado Corinthians. Viram também o ex-atleticano Jô e o ex-jogador do América, Rodriguinho, marcarem os gols da vitória corintiana por 2 a 0.
Líder incontestável do Campeonato Brasileiro, agora com 44 pontos, o Corinthians chegou a 33 jogos de invencibilidade na temporada. Já o Atlético sofreu a quarta derrota seguida como mandante no Brasileiro. No Independência, o time já havia sido superado pelo Santos (1 a 0), Bahia (2 a 0) e Vasco (2 a 1). No começo da competição, o Galo já havia perdido para Fluminense (2 a 1) e Atlético-PR (1 a 0). São seis derrotas em 10 partidas. Apenas duas vitórias em casa: Avaí (1 a 0) e Cruzeiro (3 a 1). A campanha de fracassos em casa complicou os planos do clube, que figura em frustrante posição de meio de tabela.
O Atlético fecha o turno do campeonato contra o Grêmio, domingo, em Porto Alegre. Já o Corinthians, um dia antes, recebe o Sport.

O jogo

O desafio do Atlético era romper a sólida defesa do Corinthians. Reserva na rodada passada, Elias recuperou a posição nesta quarta-feira. Formou o meio-campo ao lado de Rafael Carioca, Gustavo Blanco e Cazares. Faltou criatividade e velocidade para a construção das jogadas. No ataque, Rogério Micale mais uma vez deixou Robinho no banco e apostou em Pablo. O jovem atacante, novamente, não foi bem.
Bem agrupado na defesa, o Corinthians deixava o Atlético chegar até a intermediária com a posse de bola. A partir daí, o Galo mostrou lentidão para tentar fugir da marcação. Com um chute de fora da área, Cazares tentou surpreender. Mas Cássio defendeu.
Em momentos isolados, o Atlético pressionou a saída de bola paulista. Teve boa recuperação aos 20 minutos, mas a finalização de Rafael Moura foi por cima do gol. A grande chance atleticana foi aos 26 minutos. Marcos Rocha lançou Cazares, que dominou na área, mas bateu para fora.
O jogo ficou concentrado entre as intermediárias. O goleiro Victor praticamente não trabalhou. Mas isso não significou falta de oportunidade para o Corinthians. A conhecida eficiência da equipe não perdoou. Aos 31 minutos, Fagner passou na velocidade. Pablo, que já havia falhado na defesa em um ataque anterior, não acompanhou. O lateral cruzou e a bola sobrou para Jô empurrar para as redes. O ex-atleticano, artilheiro da Libertadores de 2013, cumpriu o prometido de não comemorar frente aos torcedores do Galo.
No segundo tempo, Rogério Micale tirou Pablo para a entrada do venezuelano Otero. O Atlético teve uma chance com Cazares, mas o equatoriano demorou a concluir e Cássio bloqueou. O Corinthians respondeu com velocidade. De novo Fagner apareceu bem pela direita e cruzou para Rodriguinho, que chutou e Victor espalmou. Na sobra, Clayson ajeitou e Maycon perdeu de frente para a meta.
Aos 18 minutos, Micale fez as duas mudanças finais na equipe. Elias e Gustavo Blanco saíram para as entradas de Robinho e Adilson. As dificuldades para encontrar espaços na defesa corintiana não acabaram. O Atlético não se entregou. Teve uma oportunidade rara e clara. Aos 21 minutos, Fábio Santos lançou Robinho na área. O atacante dominou, mas finalizou mal, para fora. Aos 28, Cazares arriscou de fora. Cássio defendeu.
O Corinthians administrava a partida com tranquilidade. E “matou” o jogo com competência. A jogada começou aos 36 minutos. Clayson ganhou de Leonardo Silva, chutou e Victor rebateu com os pés. Gabriel afastou mal e a jogada terminou com Rodriguinho. Ele cortou Leonardo Silva e marcou: 2 a 0.
Superesportes

LEIA TAMBÉM!