ASSINE O NOSSO BOLETIM DE NOTÍCIAS

RECEBA AS NOTÍCIAS MAIS IMPORTANTES DIRETO NO SEU E-MAIL
iconeenvelope.png

Com reservas, Cruzeiro faz jogo apático, perde para Ponte e se afasta do G6 da Série A

Augusto Ikeda

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Legenda da foto
Fonte: Denny Cesare/Código 19/Estadão Conteúdo

Com nove reservas, o Cruzeiro abriu mão de dar sequência ao bom futebol que havia apresentado no segundo tempo da derrota por 1 a 0 para o Corinthians e no empate por 3 a 3 com o Grêmio, pelas últimas duas rodadas da Série A. Em jogo letárgico, a Ponte Preta fez valer a condição de mandante e derrotou a Raposa por 1 a 0 na noite desta quinta-feira, no Moisés Lucarelli. O único gol do duelo foi marcado por Lucca, de pênalti, ainda na etapa inicial.

Surpreendentemente, o suspenso Mano Menezes, que assistiu ao duelo de um camarote, optou por poupar oito jogadores nesta quinta-feira – Ezequiel, Diogo Barbosa, Lucas Romero, Ariel Cabral, Robinho, Thiago Neves, Alisson e Rafael Sobis. O Cruzeiro ainda teve Murilo entre os defensores, já que Leo foi expulso na última rodada da Série A. Kunty Caicedo e Fábio foram os únicos titulares escalados. Com os suplentes, o time celeste foi desorganizado, desempenhou um futebol burocrático e completou o terceiro jogo sem vitória no Campeonato Brasileiro.

Depois do duelo em Campinas, o Cruzeiro retorna ao Mineirão para receber o Coritiba, pela 10ª rodada do Campeonato Brasileiro. O compromisso, que marcará a estreia do novo uniforme da Raposa, está marcado para o próximo domingo, às 16h. Os ingressos já estão disponíveis para os torcedores. A Ponte, por sua vez, volta a entrar em campo dentro de seus domínios, em embate diante do Palmeiras, também no domingo, às 16h.

O jogo

Depois de protagonizar um dos melhores duelos do Campeonato Brasileiro, o empate por 3 a 3 com o Grêmio, no Mineirão, o Cruzeiro foi personagem de um jogo sofrível na noite desta quinta-feira. Sonolento, o embate entre Ponte Preta e Raposa (com nove jogadores reservas) teve sua primeira finalização apenas aos 36 minutos, quando o atacante Lucca sofreu pênalti infantil de Lennon, cobrou e abriu o placar do Moisés Lucarelli. 1 a 0. Antes disso, muitos erros de passe e pouquíssima inspiração de lado a lado.

Ainda que em marcha lenta, o início da etapa final mostrou alguma movimentação. Pelo Cruzeiro, Elber foi quem tomou mais iniciativa aproveitando a deficiência de marcação da Ponte Preta no lado direito. O camisa 23 foi o responsável pela primeira finalização, aos 8’. Aranha fez defesa importante. Três minutos depois, nova chegada perigosa da equipe celeste. Ábila recebeu lançamento, escorou de peito para Rafael Marques, mas o atacante se desequilibrou no momento da finalização.

Diante de um domínio ofensivo e maior volume de jogo do Cruzeiro, Sidnei Lobo, substituto de Mano no banco, mudou quase ao mesmo tempo duas peças de ataque. Promoveu a estreia de Sassá e trocou Ramón Ábila por Rafael Sobis. Apesar das novidades, o desempenho seguiu muito tímido, longe do que poderia ser caso os titulares tivessem recebido oportunidades desde o início da partida. O jogo, que certamente estará na lista dos piores da competição nacional, caminhou para o fim de forma melancólica.

PONTE PRETA 1X0 CRUZEIRO

PONTE PRETA
Aranha; Nino Paraíba, Marllon, Rodrigo e João Lucas; Fernando Bob, Elton e Renato Cajá (Léo Artur); Claudinho (Jadson), Lucca (Lins) e Emerson Sheik. Técnico: Gilson Kleina.

CRUZEIRO
Fábio; Lennon (Lucas Romero), Caicedo, Murilo e Bryan; Hudson e Lucas Silva; Rafael Marques (Sassá), Rafinha e Elber; Ramón Ábila (Rafael Sobis). Técnico: Sidnei Lobo (Mano Menezes suspenso)

Gols: Lucca (aos 36’1ºT)
Cartões amarelos: Lennon, Kunty Caicedo (Cruzeiro); Douglas, Fernando Bob (Ponte Preta)

Motivo: nona rodada do Campeonato Brasileiro
Estádio: Moisés Lucarelli, em Campinas
Data e hora: quinta-feira, 22 de junho de 2017, às 19h30
Árbitro: Grazianni Maciel Rocha (CBF-RJ)
Assistentes: João Luiz Coelho de Albuquerque (CBF-RJ) e Wendel de Paiva Gouveia (CBF-RJ)
Assistentes adicionais: Rodrigo Carvalhaes de Miranda (CBF-RJ) e Leandro Newley Ferreira Belota (CBF-RJ)

Público pagante: 4.465
Renda: R$115.475,00

Superesportes

LEIA TAMBÉM!