Criticado em eliminação na Libertadores, Egídio tem futuro incerto no Palmeiras

Redação V9

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Redação V9

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Legenda da foto
Fonte: AFP

O lateral-esquerdo Egídio se transformou no vilão da eliminação do Palmeiras na Copa Libertadores. O jogador que desperdiçou a cobrança decisiva contra o Barcelona, na noite desta quarta-feira, no Allianz Parque, vivia momento de instabilidade no clube mesmo antes da partida, já que tem contrato só até o fim do ano e ainda não começou a conversar com a diretoria sobre uma possível renovação.

“Do Egídio, já estou cansado de falar. Ele é o melhor lateral que temos. É que o pessoal pega no pé. Às vezes ele dá um motivo ou outro. Mas ele é um menino bom, com personalidade, que erra, mas tenta sempre. Ele fez um bom jogo, infelizmente perdeu o pênalti. Acontece”, disse o técnico Cuca, após a vitória sobre o Barcelona por 1 a 0, em São Paulo.

Na derrota por 5 a 4 nos pênaltis, depois do 1 a 0 no tempo normal, Egídio foi a primeira opção para a série decisiva de cobranças, depois de os times empatarem em 4 a 4 na primeira série. Assim como Bruno Henrique, o lateral chutou no canto esquerdo do goleiro Máximo Banguera. O equatoriano pulou e espalmou para garantir a presença do Barcelona de Guayaquil nas quartas de final da Libertadores pela oitava vez na história.

Em partidas anteriores do Palmeiras, o treinador chegou a pedir para a torcida apoiar o lateral, que estava sofrendo com vaias e tinha demonstrado insegurança em campo em alguns jogos da equipe. Para Moisés, seu companheiro não pode ser considerado o vilão da eliminação. “O Egídio não tem culpa nenhuma. Alguém tem que errar. Infelizmente foi ele”, comentou o meio-campista.

Egídio chegou ao Palmeiras em 2015, após se destacar no Cruzeiro. O lateral e o goleiro Fernando Prass são os jogadores do elenco atual com contrato até o fim desta temporada. Semanas atrás, o diretor de futebol, Alexandre Mattos, afirmou que ainda não havia começado a discutir a renovação por entender que o momento não era o apropriado. Para ele, a dupla, por ter interesse em continuar, não abriria conversas com outros interessados.

Superesportes

LEIA TAMBÉM!