ASSINE O NOSSO BOLETIM DE NOTÍCIAS

RECEBA AS NOTÍCIAS MAIS IMPORTANTES DIRETO NO SEU E-MAIL
iconeenvelope.png

Em retorno ao Cruzeiro, Fred agora será municiado por jogadores renomados

Redação V9

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Legenda da foto
Weldon, Marabá, Lopes e Adriano Gabiru em comemoração com Fred em jogo contra Inter, em 2005 Fonte: Arquivo/E.M/D.A.Press

Grande aposta do Cruzeiro para 2018, o atacante Fred deverá encontrar terreno fértil na Toca da Raposa II para fazer o que mais sabe: gols. Municiado por jogadores do quilate de Thiago Neves, Rafael Sobis, Rafinha, Robinho e Alisson, ele deverá encontrar facilidade para balançar as redes. Afinal, mesmo quando não teve companheiros tão badalados, Fred se saiu bem com a camisa celeste.

Quando iniciou sua primeira passagem no clube, em meados de 2004, o centroavante atuou ao lado dos armadores Sandro e Marcinho e os atacantes Tápia e Jussiê. Já no primeiro semestre de 2005, jogou com os armadores Adriano e Wagner e os atacantes Michel, Jean, Lopes e Weldon. Ou seja, jogadores com currículos bem menos recheados que os atuais, sendo que muitos ainda iniciavam a carreira – à exceção dos já experientes atacantes Guilherme, ex-Atlético, e Kelly, ex-Atlético-PR, além do armador Marabá, ex-Goiás e Internacional.

Sandro, por exemplo, tinha 23 anos e passagem pelo Criciúma depois de ser revelado pelo ABC-RN. Já Marcinho havia acabado de sair das categorias de base e ser chamado de “herdeiro” do craque Alex o prejudicou um pouco. Jussiê também era apenas um jovem promissor. Com 20 anos, Wagner tinha acabado de chegar do América. Michel, ex-Juventude, e Jean, revelado pelo Flamengo, buscavam espaço no cenário nacional.

Os números corroboram o bom desempenho de Fred, independentemente de quem estava ao lado dele. Foram 56 gols em 71 jogos. Em 2005, ele foi artilheiro do Campeonato Mineiro (13 gols) e da Copa do Brasil (14), nos quais o time celeste perdeu a decisão para o América e foi eliminado na semifinal pelo Paulista, respectivamente.

RETROSPECTO RECENTE

Também aumenta a expectativa dos torcedores o fato de ele agora entrar em um time já formado e cuja principal deficiência em 2017 foi justamente colocar a bola para dentro. Se sem um goleador nato o Cruzeiro conseguiu ser campeão da Copa do Brasil e terminar em sexto lugar no Campeonato Brasileiro, com o artilheiro espera-se um desempenho ainda melhor, preferencialmente ganhando o tri da Copa Libertadores e, posteriormente, o inédito título mundial de clubes.

Para isso, também conta a favor o fato de o técnico Mano Menezes ter sido mantido. Em 2004, Fred foi comandado primeiramente por Marco Aurélio e depois por Ney Franco. Já em 2005, os treinadores foram Levir Culpi, no primeiro semestre, e Paulo César Gusmão quando se transferiu para o Lyon, da França.

Em torno do astro

2004

Wendel (volante/armador), Martinez (volante/armador), Sandro (armador), Marcinho (armador), Tápia (atacante), Guilherme (atacante) e Jussiê (atacante)

2005

Adriano (armador), Wagner (armador), Marabá (armador), Kelly (armador/atacante), Michel (atacante), Jean (atacante), Lopes (atacante) e Weldon (atacante)

2018

Thiago Neves (armador), Arrascaeta (armador), Rafinha (armador), Robinho (armador), Alisson (armador), Rafael Sobis (atacante), Sassá (atacante) e Rafael Marques (atacante)

Superesportes

LEIA TAMBÉM!