ASSINE O NOSSO BOLETIM DE NOTÍCIAS

RECEBA AS NOTÍCIAS MAIS IMPORTANTES DIRETO NO SEU E-MAIL
iconeenvelope.png

Grêmio nega ter espionado treino de rival com drone e Lanús elogia ‘criatividade’

Redação V9

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Legenda da foto
Diretor jurídico do Grêmio, Nestor Hein, negou tal prática para tirar vantagem dos rivais Fonte: Lucas Uebel/Grêmio

Mesmo antes de a bola rolar, o noticiário da grande final da Copa Libertadores ganhou um ingrediente especial. Enquanto o Grêmio nega ter espionado treinos fechados do Lanús com a captação de imagens por meio de um drone, os rivais argentinos elogiam a possível “criatividade” do time gaúcho. As duas equipes disputam a primeira partida da decisão nesta quarta-feira, às 21h45, em Porto Alegre.

“Nos chegou esta informação, mas não detectamos nada. Pessoalmente, felicito a criatividade da pessoa que quis fazer isso. É interessante saber o que faz o rival e poder cobrir todos os detalhes. Se conseguiu fazer isso, felicito, mas nós não detectamos nada”, disse o preparador físico do Lanús, Diego Osses, em entrevista à Rádio Gaúcha.

Segundo matéria veiculada pela ESPN, o Grêmio contratou um homem para filmar e fotografar as atividades do Lanús e de outros adversários durante a campanha da Copa Libertadores e de alguns jogos do Campeonato Brasileiro e da Copa do Brasil. Desta forma, a comissão técnica de Renato Gaúcho tinha acesso à escalações e jogadas ensaiadas dos adversários com antecedência. A publicação ainda afirmou que a passagem e a hospedagem do ‘espião’ na Argentina foram pagos pelo clube gaúcho.

O diretor jurídico do Grêmio, Nestor Hein, negou tal prática para tirar vantagem dos rivais. “Imaginava que o Grêmio estava nesta posição pela qualidade de seus jogadores e comissão técnica, não por espionagem. Imaginei que a razão pela qual o clube está nesta situação é por sua competência. Entrei ao vivo na ESPN aguardando que me dessem alguma prova, que tivessem uma prova de que alguém é funcionário do Grêmio ou coisa parecida. Lamentavelmente, fizeram um mantra de vitimismo ou de que eu estava os atacando”, afirmou o dirigente.

Superesportes

LEIA TAMBÉM!