Guerrero explica gol salvador do Peru e admite: ‘Não vi sinalização de dois toques’

Redação V9

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Redação V9

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Legenda da foto
Gol de Paolo Guerrero (9) causou dúvidas pois a falta cobrada direto para o gol era lance de dois toques Fonte: AFP/ Ernesto Benavides

Grande nome do futebol peruano nos últimos tempos, Paolo Guerrero foi o herói da seleção nacional na última terça-feira e manteve vivo o sonho de recolocar o país na Copa do Mundo depois de 36 anos. Foi ele o responsável pelo gol do empate por 1 a 1 diante da Colômbia, em Lima, que colocou o Peru na repescagem.

O lance do gol, porém, foi bastante inusitado. O árbitro brasileiro Sandro Meira Ricci sinalizou falta em dois lances a favor do Peru. Guerrero foi para a cobrança e arriscou direto. O gol seria anulado, se não fosse a reação do goleiro Ospina de ir para a bola e desviá-la para a própria meta.

“Não havia visto a sinalização do árbitro de que a falta era indireta. Eu só bati a falta para o gol”, explicou o atacante nesta quarta-feira. “A única coisa que passou pela minha cabeça era colocar a bola onde eu queria, não escutei o árbitro. Decidi bater onde estou acostumado e graças a deus tocou no Ospina e foi para o gol.”

Os colombianos chegaram a reclamar do lance, mas o gol foi confirmado e o Peru terminou as Eliminatórias Sul-Americanas na quinta colocação. O resultado deu ao país a chance de disputar a vaga na Copa do ano que vem, na Rússia, com a Nova Zelândia, vencedora das Eliminatórias da Oceania. E apesar deste último obstáculo, Guerrero mostrou confiança na classificação.

“Ainda temos que esperar para comemorar, agora esperamos o próximo adversário e teremos duas partidas decisivas. Assim, para ficar com a vaga, teremos que esperar um pouco. Mas nos preparamos bem e sou bastante otimista. Eu acredito que vamos estar no Mundial”, afirmou Guerrero.

O Peru entra como favorito na disputa, mas a vaga na repescagem só veio graças a uma arrancada na reta final das Eliminatórias. Tido praticamente como eliminada no fim do ano passado, a seleção não perdeu em 2017. Na competição, emendou uma sequência de três vitórias e três empates para subir na tabela.

Para Guerrero, os méritos desta ascensão são do técnico argentino Ricardo Gareca. “O professor Gareca é muito positivo e isso é o que ele passa para nós, os jogadores. A vibração, a energia que nos passa, é de sermos vencedores. E esta equipe, hoje, é vencedora, não dá nada por perdido e nunca abaixa a guarda.”

Superesportes

LEIA TAMBÉM!