ASSINE O NOSSO BOLETIM DE NOTÍCIAS

RECEBA AS NOTÍCIAS MAIS IMPORTANTES DIRETO NO SEU E-MAIL
iconeenvelope.png

Na Argentina, Grêmio enfrenta Lanús para ser tricampeão da Copa Libertadores

Redação V9

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Legenda da foto
Jogadores do Grêmio em clima descontraído em treinamento feito no campo do Lanús Fonte: Grêmio/Divulgação

O técnico Renato Gaúcho tentou explicar a decisão desta quarta-feira entre Lanús e Grêmio, mas se curvou à mística e à história do maior torneio sul-americano de clubes. “Final de Libertadores é final de Libertadores”, resumiu o treinador. Depois da vitória por 1 a 0 na semana passada em Porto Alegre, o clube brasileiro joga pelo empate, às 21h45 (de Brasília), no estádio Ciudad de Lanús – Néstor Díaz Pérez, em Lanús, na região metropolitana de Buenos Aires. Não há gol qualificado. Se o time argentino vencer por 2 a 1, por exemplo, haverá prorrogação. Se a igualdade persistir, pênaltis.

Ganhar a Copa Libertadores tem, portanto, algo de indizível. É muito mais que conseguir uma vaga no Mundial de Clubes da Fifa. No caso do time gaúcho, é mais que entrar para o clube restrito de tricampeões, depois de ter vencido em 1983 e 1995. Dos brasileiros, só São Paulo e Santos conseguiram o feito. Ganhar a Libertadores é se tornar imortal para o clube, como definiu o atacante Luan em uma de suas entrevistas recentes.

O time argentino persegue a primeira de sua história. Embora miúdo no cenário local, o currículo que apresentou no torneio de 2017 é vistoso. Nas quartas de final, conseguiu reverter um placar de 2 a 0 para o San Lorenzo. Nas semifinais, virou para 4 a 2 depois de estar perdendo por 2 a 0 para o River Plate.

O cenário da final tem nome poético, próprio a uma decisão: “La Fortaleza”, apelido do estádio Néstor Díaz Pérez, no subúrbio de Buenos Aires. “Vamos tomar a iniciativa porque esta é a característica da equipe. Estamos confiantes”, disse o técnico Jorge Almirón.

Os dois times têm baixas sensíveis na defesa. O time argentino não contará com seu zagueiro Diego Braghieri, que levou cartão amarelo no último minuto do primeiro jogo. As opções são Marcelo Herrera ou Nicolás Aguirre. O Grêmio perdeu o argentino Walter Kannemann, também suspenso.

Mesmo que tenha a possibilidade do empate, Renato Gaúcho promete atacar. Pode ser uma bravata, mas os 3 a 0 aplicados no Barcelona, do Equador, no primeiro jogo das semifinais dão a ideia que ele pode estar falando sério. Mais que isso. Como visitante, soma três partidas consecutivas sem derrotas. “Com todo o respeito ao Lanús, que é uma grande equipe, o Grêmio tem essa pequena vantagem, mas pode ter certeza que vai jogar para ganhar o jogo”.

O técnico do Grêmio, que pode se tornar o primeiro brasileiro campeão como jogador e também como treinador, evitou as polêmicas de arbitragem – o time reclamou de um pênalti não marcado no último lance do jogo em Porto Alegre.

A estratégia é simples: aproveitar os espaços quando o time argentino sair para buscar o resultado. “Mais cedo ou mais tarde, os espaços vão aparecer e vamos saber aproveitar com inteligência”, previu Renato Gaúcho.

Superesportes

LEIA TAMBÉM!