Prass admite futuro incerto no Palmeiras: ‘Se não ficar, escrevi uma história bonita’

Redação V9

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Redação V9

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Legenda da foto
Fonte: César Greco/Palmeiras

Após ganhar uma nova chance no gol do Palmeiras na derrota por 1 a 0 para o Atlético-PR, no último domingo, no Allianz Parque, o goleiro Fernando Prass revelou que ainda não foi procurado pela diretoria do Palmeiras para negociar a renovação de seu contrato, que vence em 31 de dezembro. Depois de ter perdido a condição de titular para Jailson, escalado desde a partida contra o Flamengo, o veterano afirmou que tem interesse em continuar no clube.

“Agora é hora de deixar qualquer vaidade de lado e pensar no Palmeiras, no que você pode fazer para o Palmeiras terminar o ano bem. Aí, no fim do ano, eu vejo o que é melhor para mim. Óbvio que minha ideia é ficar no Palmeiras, mas não depende só de mim. Se eu pudesse escolher, eu ficaria. Se não ficar, acho que escrevi uma história bonita aqui. Se não for para ficar, aí eu tenho que procurar outro clube, mas tenho pensamento positivo e otimismo de que vai dar tudo certo”, disse o goleiro.

Fernando Prass afirmou que não teve conversas para o acerto de um pré-contrato com outros clubes. O goleiro chegou ao Palmeiras no fim de 2012 e participou de toda a reconstrução do clube. Foi campeão da Série B em 2013, da Copa do Brasil de 2015 e do Campeonato Brasileiro de 2016. Agora o goleiro de 39 anos convive com a condição de reserva por opção técnica pela primeira vez desde 2013.

Prass não demonstra desânimo com a situação nos treinamentos. Ele continua sendo um dos primeiros a chegar para as atividades e trabalha com Oscar Rodríguez e Danilo Minutti, preparadores de goleiros do clube. No treino técnico da última quinta-feira, por exemplo, chamou a atenção por entrar em duas divididas arriscadas diante dos atacantes e fazer boas defesas.

Superesportes

LEIA TAMBÉM!