ASSINE O NOSSO BOLETIM DE NOTÍCIAS

RECEBA AS NOTÍCIAS MAIS IMPORTANTES DIRETO NO SEU E-MAIL
iconeenvelope.png

Quarteto ofensivo é esperança para Cruzeiro retomar caminho das vitórias no Brasileiro

Redação V9

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Legenda da foto
Oito gols em nove jogos. Quem consultar a tabela do Campeonato Brasileiro verá que o Cruzeiro divide com o Vitória o posto de terceiro pior ataque da competição. Somente Atlético-GO (7) e Avaí (3) marcaram menos vezes. Preocupante? Sim. Mas o torcedor celeste tem uma esperança para o jogo contra o Coritiba, neste domingo, às 16h, no Mineirão, pela 10ª rodada da competição. Tudo indica que Mano Menezes escalará o quarteto ofensivo com Robinho, Thiago Neves, Alisson e Rafael Sobis. Esses atletas terão a missão de superar o bloqueio adversário e fazer o time vencer depois de três partidas de jejum. A Raposa ocupa o 12º lugar na Série A, com 11 pontos.
É fato que Ramón Ábila, provável reserva, é artilheiro da equipe na Série A, com três gols. Contudo, o melhor rendimento do ataque ocorreu no empate por 3 a 3 com o Grêmio, na última segunda-feira, também no Gigante da Pampulha. Thiago Neves e Rafael Sobis fizeram um gol e deram uma assistência cada. Robinho também balançou a rede. Alisson, por sua vez, chutou duas vezes na trave. Do meio para frente, a Raposa praticou um futebol envolvente, com boas tabelas e chegadas perigosas. O pecado foi cometido na defesa, principalmente na bola aérea, fundamento que castigou a equipe no primeiro tempo.
Os três gols de Ábila, aliás, contaram com participação decisiva de Alisson. Na vitória sobre o São Paulo por 1 a 0, pela primeira rodada, o argentino recebeu assistência do camisa 11. Já no triunfo por 2 a 0 sobre o Atlético-GO, pela sexta rodada, Alisson sofreu penalidade máxima, convertida pelo número 9, e voltou a deixar Wanchope na cara do gol para balançar a rede pela segunda vez. O meia-atacante de 23 anos, natural de Rio Pomba-MG, também desfrutou de “fase artilheira” no empate por 1 a 1 com o Sport, na Ilha do Retiro, pela segunda rodada.
Outro que contribuiu para os 11 pontos somados pelo Cruzeiro na Série A foi Thiago Neves. Além do gol e da assistência contra o Grêmio, o camisa 30 balançou a rede na vitória por 1 a 0 sobre o Santos, na Vila Belmiro, pela terceira rodada. Ele se aproveitou de passe rasteiro de Ramón Ábila e bateu com o pé direito para o fundo da meta. Segundo os números do Footstats, Neves é o quinto atleta com mais finalizações certas no Brasileiro: 13. O líder nesse quesito é Henrique Dourado, do Fluminense, com 15 (oito gols marcados).
Mesmo enfrentando algumas dificuldades desde que retornou ao Brasil depois de alguns anos no mundo árabe, Thiago Neves tem bons números pelo Cruzeiro. São sete gols e seis assistências em 24 partidas. “Você sente dificuldade quando volta em função do ritmo do futebol brasileiro. Você tem que ter um tempo de adaptação. Pela recepção que eu tive, todo mundo pensou que eu ia chegar arrebentando, ia chegar fazendo gols, dando assistências… as coisas não funcionam assim. Acho que agora estou mais tranquilo. Claro que com uma queda de rendimento, meu rendimento foi de acordo com o time. O time caiu, o meu (rendimento) também caiu. Para mim não ia adiantar jogar bem e o time perder. Acho que agora o time vem crescendo e jogando bem. A volta do Robinho foi importante, a volta do Rafa foi importante, para meu rendimento crescer mais. Espero continuar ajudando. A torcida me cobra, eu vou estar em todos os jogos me doando ao máximo. Se as coisas vão sair da forma que eles querem, a gente não sabe. Mas vou me empenhar para que meus companheiros fiquem tranquilos e confiem em mim”, frisou o meio-campista.
Já Robinho e Rafael Sobis atuaram pouco no Brasileiro: quatro e três jogos, respectivamente. Como estavam machucados, eles foram escalados menos vezes no campeonato. Contribuição direta em gols somente contra o Grêmio, justamente quando tiveram ao lado de Alisson e Thiago Neves.
Robinho, que se destacou por ser garçom em 2016 – contribuiu com 11 assistências em 30 partidas –, ainda não conseguiu servir aos companheiros nesta temporada. Em compensação, ele soma sete gols (cinco em partidas oficiais e dois em amistoso) e está perto de alcançar o 100º na carreira – tem 99.
“Fiz muitos gols, mas não dei assistência neste ano. Se trocar assistência pelo gol vou estar ajudando também. Muitos jogadores nossos estão fazendo gols. O importante são os gols saírem e assim as vitórias vão vindo”, frisou o camisa 19.
Superesportes

LEIA TAMBÉM!