Rodrigo Parreira leva mais um bronze em Londres; 13 brasileiros conquistaram 21 medalhas

Redação V9

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Redação V9

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Legenda da foto
Rodrigo Parreira conquistou uma prata e dois bronzes no Mundial de Atletismo.

O Brasil encerrou sua participação na oitava edição do Mundial de Atletismo Paralímpico Londres 2017 com 21 pódios, sendo oito de ouro, sete de prata e seis de bronze. O desempenho da seleção colocou o país em 9º lugar no quadro geral de medalhas da competição, que foi realizada entre os dias 14 e 23 de julho no Estádio Olímpico da cidade e contou com a participação de 25 atletas brasileiros.

Nas provas de velocidade, Petrúcio Ferreira foi o grande destaque do Brasil no sábado (22). Na prova dos 200m classe T47 (amputados de braço) o atleta faturou mais um ouro e ainda baixou seu próprio recorde mundial para 21s21, a antiga marca era de 21s49, estabelecida por ele em abril de 2015. O tempo de 21s21 coloca Petrúcio entre os 20 melhores tempos do ranking brasileiro 2017 dos 200m (resultados de atletas convencionais sem assistência do vento), na vigésima posição. Confira o vídeo da prova abaixo.

Na mesma prova, o alagoano Yohansson Nascimento ficou com a prata, ao cruzar a linha de chegada com o tempo de 21s96, repetindo a dobradinha dos dois no pódio do Mundial, em que também conquistaram ouro e prata nos 100m, no sábado (15). A prova dos 100m também teve recorde mundial para Petrúcio, com o tempo de 10s53, superando o recorde anterior, também dele, de 10s57, nos Jogos Paralímpicos do Rio. Os tempos de Petrúcio o deixam muito próximo do recordista paralímpico, o irlandês Jason Smyth, com tempos de 10s46 e 21s05, nos 100m e 200m, o que deixa a expectativa de que as marcas sejam batidas pelo brasileiro.

Ainda no sábado (22), o atleta Thiago Paulino venceu a prova do lançamento de disco F57 (amputados de perna) com a marca de 46m58 e levou seu segundo ouro no Mundial de Atletismo. O atleta já havia conquistado a medalha dourada na prova do arremesso de peso, na sexta-feira (14). Na final dos 100m classe T36 (paralisados cerebrais), Rodrigo Parreira levou o bronze, mesmo com uma lesão na coxa direita. O atleta fecha o Mundial com três pódios, bronze também nos 200m e prata no salto em distância.

Nesta oitava edição do Mundial, o Brasil obteve resultados expressivos nas provas de velocidade. Petrúcio Ferreira e Yohansson Nascimento dividiram dois pódios; Mateus Evangelista e Rodrigo Parreira garantiram três medalhas e Daniel Tavares e Fábio Bordignon, uma. Nos lançamentos, o Brasil também conseguiu manter bons resultados. Thiago paulino dois o, alessandro silva um; jonas Licurgo e izabela prata iza bronze. O país levou sete medalhas destas disciplinas, foram quatro ouros (Alessandro Silva, André Rocha e duas de Thiago Paulino), duas pratas (Jonas Licurgo e Izabela Campos) e um bronze (Izabela Campos).

Cerca de 1.300 atletas de 85 países disputaram as 202 medalhas do Mundial de Atletismo Paralímpico de Londres. Em 2015, em Doha, no Catar, o Brasil havia levado 40 atletas e ficado com a sétima colocação no quadro geral de medalhas do evento. Foram oito medalhas de ouro, 14 de prata e mais 13 de bronze.

Medalhas do Brasil no Mundial de Atletismo Paralímpico Londres 2017

Ouro
Alessandro Silva – lançamento de disco F11 (cegos totais)
André Rocha – lançamento de disco F52 (paralisados de membros inferiores)
Daniel Martins – 400m classe T20 (deficiência intelectual)
Mateus Evangelista  – 100m T37 – (paralisados cerebrais)
Petrúcio Ferreira – 100m T47 (amputados de braço)
Petrúcio Ferreira – 200m T47
Thiago Paulino – arremesso de peso F57 (amputados de uma das pernas)
Thiago Paulino – lançamento de disco

Prata
Izabela Campos – lançamento de dardo F11 (cegos totais)
Jonas Licurgo – lançamento de dardo classe F55 (paralisados de membros inferiores)
Mateus Evangelista – 200m T37 (paralisados cerebrais)
Mateus Evangelista  – salto em distância T37
Rodrigo Parreira – salto em distância T36 (paralisados cerebrais)
Yohansson Nascimento – 100m T47 (amputados de braço)
Yohansson Nascimento – 200m T47

Bronze
Izabela Campos – lançamento de disco F11 (cegos totais)
Fábio Bordignon – 200m T35 (paralisados cerebrais)
Ricardo Costa – salto em distância T11 (cegos totais)
Rodrigo Parreira – 200m T36 (paralisados cerebrais)
Rodrigo Parreira – 100m T36
Edson Pinheiro – 100m T38 (paralisados cerebrais)

Caixa

LEIA TAMBÉM!