ASSINE O NOSSO BOLETIM DE NOTÍCIAS

RECEBA AS NOTÍCIAS MAIS IMPORTANTES DIRETO NO SEU E-MAIL
iconeenvelope.png

Torcida do Luizote dá sua versão sobre a confusão da partida do último domingo, dia 19

Redação V9

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Legenda da foto

Na manhã desta terça-feira, 21, torcedores da equipe do Luizote conversaram com a equipe de reportagem da TV Vitoriosa para dar sua versão sobre o ocorreu na confusão da partida do último domingo, 19, contra o Tabajara, pela semifinal do Campeonato Amador.

O torcedor Claiton Santos alegou que a maior parte da torcida já estava pronta para comemorar a classificação do Luizote para a final e não viu o gol marcado pelo Tabajara, e adentrou ao campo para celebrar. Assim que percebeu que a partida não havia terminado, Claiton disse que tentou impedir a entrada de mais torcedores em campo.

Claiton também disse que a torcida se revoltou apenas contra o árbitro da partida, que teria dado um minuto a mais de partida sem fazer qualquer sinalização de que tomou essa decisão.

O torcedor aproveitou a ocasião para explicar que o ocorrido foi algo atípico e que esse não é o comportamento da torcida do Luizote. “A gente foi maltratado na internet como time de bandido, e não é. A torcida ta lá, voluntariamente, pra poder somar, agregar, por que o Luizote é um bairro unido”, disse Claiton.

Thelson Taylor, diretor do Luizote, também tem opinião semelhante a dos torcedores e disse que a confusão começou por “irresponsabilidade do árbitro”. Ele também pede para que a equipe não seja punida pelo ocorrido.

A Liga Uberlandense de Futebol, que organiza o Campeonato Amador, dará uma coletiva de imprensa nesta quarta-feira, 22, na qual divulgará seu posicionamento sobre a confusão.

https://www.youtube.com/watch?v=4EQdJXA_a-E

Versão da PM

Alguns torcedores do Luizote reclamaram da postura da Polícia Militar no momento em que ela precisou intervir na confusão. Mas a Capitão Patrícia explicou que a ação dos militares presentes no estádio foi correta, pautada por ações legais, para colocar um fim a confusão que tomou conta da partida.

A Capitão Patrícia também alegou os policiais precisaram fazer uso das balas de borracha contra a torcida não apenas como forma de defender quem estava no campo, mas também para protegerem, e acredita que a ação foi importante para evitar qualquer tipo de lesão corporal.

https://www.youtube.com/watch?v=5-YeIDCPR1A

Informações nos locais: Vinícius Lemos e Anderson Magrão

LEIA TAMBÉM!

Eleições 2020 na TV Vitoriosa – Entrevista com candidatos a prefeito de Uberlândia

Começou a rodada de entrevistas com …

Governo inaugura Centro de Levantamento de Pesos

O ministro do Esporte, Leonardo Picciani, …

Polícia Militar combate tráfico ilícito de drogas

Durante patrulhamento, a guarnição deparou com …

Programa Voluntário Global oferece intercâmbio de férias para países vizinhos

Estão abertas as inscrições para o …