Victor Penalber é ouro e Rafael Buzacarini fica com a prata no Aberto de Odivelas

Redação V9

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Redação V9

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Legenda da foto

O Brasil conquistou duas medalhas no segundo dia do Aberto Europeu de Odivelas, em Portugal. Depois de vencer três dos quatro combates por ippon, Victor Penalber conseguiu um waza-ari contra o russo Denis Kalinin na decisão e ficou com o ouro no meio-médio. Já Rafael Buzacarini que também havia vencido três lutas por ippon, ainda pontuou com um waza-ari na luta contra Niyas Ilyasov mas acabou sofrendo outros três do adversário e ficou com a prata. Anteriormente, Ilyasov havia vencido Luciano Correa, o outro brasileiro que esteve em ação neste domingo, 05 de fevereiro. No primeiro dia da competição, o Brasil garantiu um bronze com o ligeiro Eric Takabatake, a primeira medalha da seleção em 2017. Agora, os quatro se reunirão com o restante da seleção na França para a disputa do Grand Slam de Paris, no próximo final de semana.

“Muitos adversários novos, que nunca tinha lutado, novas regras e um pouco da falta de ritmo. Sendo a primeira competição do ano, a gente sente um pouco. Mas deu tudo certo e espero que consiga me sair bem também na próxima competição”, disse Penalber.

“Não foi a medalha que eu queria mas foi bom começar o ano medalhando. Fiz uma boa competição, conseguindo jogar meus adversários e isso me dá mais confiança para lutar bem em Paris”, disse Buzacarini.

Victor Penalber estreou com tudo: conseguiu um waza-ari e depois o ippon sobre o espanhol Pablo Garcia Monco. Nas oitavas-de-final, o carioca imobilizou Dominik Druzeta, da Croácia, por 20 segundos e venceu por ippon. Foram necessários 45 segundos de golden score, para Penalber vencer o francês Baptiste Pierre por ippon nas quartas-de-final. A vaga na grande final também foi decidida no tempo extra. Mas dessa vez foi rápido. Em apenas 25 segundos de golden score, Victor projetou o português Diogo Lima, conseguiu um waza-ari e um lugar na disputa do ouro. Na decisão contra Kalinin, mais uma waza-ari e o ouro.

“O mais importante de começar o ano com um ouro, ter a primeira medalha do ciclo olímpico, é que dá mais confiança para irmos em busca de novos bons resultados”, disse Penalber.

Rafael Buzacarini foi o primeiro a garantir a vaga para disputar o ouro. Ele estreou contra Jaakko Alli, da Finlândia, e venceu por eliminação (hansoku-make por três punições) do adversário. Na sequencia, ippon, desta vez por projeção, sobre o russo Alexey Kazachkov. Nas quartas-de-final, novo ippon sobre o francês Nell Honore Rebouka. A maior emoção veio na semifinal. Faltando 7 segundos para o fim da luta, Buzacarini conseguiu um waza-ari sobre Clement Delvert e se garantiu na decisão. Mas contra Niyaz Ilyasov acabou sofrendo três waza-aris contra apenas um a seu favor e ficou com a prata.

“Acredito que o tempo de luta foi mesmo a principal mudança porque tudo fica muito mais rápido. Por isso, busquei o ippon o tempo todo, jogar meus adversários. Acho que isso foi um diferencial a meu favor”, disse Buzacarini.

CBJ

LEIA TAMBÉM!