493 empresas de Uberlândia fecharam as portas entre os meses de janeiro e julho de 2017

Augusto Ikeda

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Augusto Ikeda

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Legenda da foto

Entre os meses de janeiro e julho deste ano, 493 empresas de Uberlândia foram fechadas, contra 337 abertas. Os dados foram divulgados pelo Sindicato do Comércio (Sindicomércio) do município.

Uma das razões que fazem muitos comerciantes e empresários desistirem de continuar com um negócio são os altos tributos que precisam ser pagos. De acordo com o Instituto Brasileiro de Tributação, 33% dos faturamentos de uma empresa no Brasil são destinados, apenas, para o pagamento de impostos.

Osvaldo Gomes, presidente do Sindicomércio, explica que além do pagamento de tributos, o empreendedor ainda precisa arcar com vários outros custos, o que prejudica seu lucro.

“O restante, ele (o empresário/empreendedor) precisa arcar com despesas fixas, que são as despesas do dia a dia, e o empreendedor e empresário tem que ter muita força de vontade pra conseguir se sobressair”, disse o presidente, citando ainda que a atual crise econômica do país só piora essa situação.

Roberto Ramos, comerciante do ramo de imóveis há mais de 40 anos, disse que já perdeu as contas de quanto que já pagou em impostos e tributações, e confirma que o lucro, muitas vezes, sequer existe.

“O seu lucro é pequeno, você tem de vender muito e conscientizar que você tem que ganhar pouco pra ter um saldo positivo. Se bobear, você fica no vermelho”, comentou.

Confira mais informações no vídeo abaixo, na reportagem de Camila Rabelo

LEIA TAMBÉM!