Aluno com déficit cognitivo diz ter sofrido bullying de professor

Augusto Ikeda

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Augusto Ikeda

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Legenda da foto

Um adolescente de 13 anos, que a família pediu para não ser identificado, afirma ter sofrido bullying por parte de um professor na Escola Estadual Antônio Tomaz Ferreira de Resende, localizada no Bairro Jardim Brasília.

O jovem tem o chamado déficit cognitivo de nível moderado (que são alterações na maneira que a pessoa processa a informação), e por conta do problema, necessita da ajuda de uma monitora para acompanhar as aulas.

Há uma semana, o aluno afirma que após receber um trabalho, um dos professores da escola o chamou de “burro” e o mandou “ir trabalhar”. Desde então, o jovem não voltou mais ao local por vergonha.

A vendedora Regina Rodovalho, mãe do adolescente, afirma que ele não possui a ajuda de uma monitora na escola, apesar de ter feito a solicitação no momento da matrícula, como sempre faz.

“Quando eu faço a matrícula dele na escola, levo junto o laudo médico. Sempre que eu faço, eu levo, pra evitar esse tipo de problema, pra não ter esse bullying”, disse.

Nota da Prefeitura

A equipe da TV Vitoriosa procurou a Superintendência de Ensino de Uberlândia, que informou que o caso de bulliyng contra o adolescente será apurado.

Já a direção da escola Antônio Tomaz Ferreira de Resende informou que o aluno atrapalhava o desenvolvimento da sala de aula e desconhece o fato divulgado pela TV Vitoriosa.

Informações no local: Camila Rabelo

LEIA TAMBÉM!