Cuidados simples com a alimentação podem evitar intoxicações alimentares

Redação V9

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Redação V9

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Legenda da foto
Contaminação pode acontecer tanto em alimentos de origem animal, quanto vegetal, frescos ou processados, incluindo água. (Imagem: André Brant)

As altas temperaturas características do verão podem facilitar a proliferação de microrganismos na comida, ocasionando as chamadas Doenças Transmitidas por Alimentos (DTA). A contaminação pode acontecer tanto em alimentos de origem animal, quanto vegetal, frescos ou processados, incluindo a água para consumo humano.

Por isso, algumas medidas preventivas de higiene e cuidado devem ser adotadas com a comida feita em casa e também com produtos vendidos por estabelecimentos comerciais.

A contaminação dos alimentos pode ocorrer de diferentes maneiras, como falta de higienização das mãos, das superfícies da cozinha e dos utensílios utilizados no preparo da comida. Outros fatores como a umidade do ar, animais domésticos, lixo e água utilizada no preparo também podem contribuir para uma possível contaminação.

De acordo com a Diretora de Vigilância em Alimentos da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), Ângela Ferreira Vieira, a qualidade sanitária da comida é uma das principais condições para a promoção e manutenção da saúde durante o verão.

“Medidas preventivas e de controle devem ser adotadas em toda a cadeia produtiva, desde a origem até o consumo do alimento pronto, seja ele adquirido em estabelecimentos comerciais como restaurantes e bares ou quando preparado em casa”, explica.

Entre os principais sintomas causados por alimentos contaminados estão vômito, diarreia, dor abdominal e náuseas. Dependendo do estado geral de saúde e idade do paciente, da quantidade do alimento ingerido e também do tipo de microrganismo presente, a doença pode deixar sequelas e até levar a óbito.

Cuidados com a comida feita em casa

Além de manter as mãos, recipientes, cozinha e utensílios bem limpos, tenha o cuidado de preparar os alimentos num horário mais próximo possível do consumo. Também não deixe que a comida permaneça exposta à temperatura ambiente, armazene os alimentos perecíveis com boa vedação dando preferência para as embalagens de vidro, protegendo-as do sol.

Cuidados especiais devem ser tomados com o armazenamento de queijo branco, embutidos, carnes, molhos, patês e bolos recheados. Por fim, mantenha os alimentos que necessitam de refrigeração dentro de freezers ou refrigeradores até o momento do consumo, guardando-os imediatamente após a alimentação.

Alimentação fora de casa

Para quem prefere comer fora de casa é importante verificar as condições de organização e limpeza do estabelecimento. Os funcionários devem utilizar proteção nos cabelos, ter as unhas das mãos curtas, sem esmaltes e limpas. Não é permitido o uso de barba, anéis, alianças, pulseiras e brincos e os uniformes devem estar higienizados e em bom estado de conservação.

Outra questão que deve ser observada é se existem funcionários específicos para as diferentes tarefas executadas no local. Manipuladores de alimentos não devem trabalhar no caixa, por exemplo.

Tanto o local quanto os utensílios utilizados no preparo da comida devem estar limpos e conservados. Também é importante verificar se há presença de insetos e se o gelo é industrializado, produzido com água potável e armazenado em embalagem ou recipiente devidamente fechado, limpo e separado de outros alimentos.

A temperatura é outro fator fundamental para a prevenção de doenças. Uma boa dica é verificar se os equipamentos utilizados para conservação dos alimentos apresentam visor de temperatura. Caso contrário, encoste no balcão e verifique se está gelado.

Ao comprar produtos prontos para consumo verifique se há furos, vazamentos ou qualquer outro dano nas embalagens. O prazo de validade também deve ser verificado assim como o frescor de produtos vendidos in natura como frutas, verduras e legumes. O uso da maionese deve ser feito exclusivamente em embalagem individual (sachê).

Irregularidades

Caso o produto ofertado apresente características inadequadas para o consumo faça contato com o gerente ou responsável técnico do local para que tenha ciência do problema e uma intervenção seja feita. Em caso de situações irregulares em estabelecimentos, o cidadão pode fazer uma denúncia junto aos serviços de Vigilância Sanitária do município.

Em Belo Horizonte, o contato pode ser feito por meio do telefone 156. Em localidades onde não há este tipo de serviço, o contato pode ser feito com a Diretoria de Vigilância em Alimentos da SES-MG, através do e-mail [email protected]

Agência Minas

LEIA TAMBÉM!