Futel e Polícia Militar discutem normas e procedimentos para melhorar segurança do Parque do Sabiá

Augusto Ikeda

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Augusto Ikeda

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Legenda da foto
Fonte: Reprodução TV Vitoriosa

Em reunião, a diretoria da Futel e a Polícia Militar discutiram normas e procedimentos para poder dar mais segurança aos usuários do Parque do Sabiá. Cada vez mais, aumentam os números de furtos, roubos e assaltos dentro do local.

Uma dessas vítimas é o advogado Hélio Thomas, que teve um prejuízo na casa dos quatro mil reais após ladrões furtarem acessórios e equipamentos de seu carro, que estava parado dentro do estacionamento do parque. “Fomos vítimas de um carro arrombado. Uma tentativa de até levarem o carro, mas acabaram levando o estepe”, disse.

Quando foi registrar o Boletim de Ocorrência, o advogado soube que até o policial que estava confeccionando o documento também foi vítima de furto no mesmo local.

“O próprio agente da PM que estava relatando o meu Boletim de Ocorrência também se relatou como vítima de uma situação de furto e arrombamento recente”, disse.

Dicas e novas medidas de segurança

Segundo o Tenente Cordeiro, da Polícia Militar, várias outras reuniões já ocorreram entre a PM e a Futel para ajudar a melhorar alguns aspectos da segurança do Parque do Sabiá. E ele também deu algumas dicas e orientações de segurança para evitar furtos e roubos no local.

“É importante que você não deixe objetos a mostra. O cidadão infrator vai naquele objeto que está mais fácil pra ele. Ele verificando que o objeto está de fácil acesso dentro do veículo, por exemplo, e seja um bem de valor, provavelmente ele vai querer subtrair este bem”, explicou.

Já o diretor da Futel, Silvio Soares, explica que as reuniões têm como objetivo estabelecer uma parceria entre os dois órgãos para garantir e melhorar a segurança do Parque do Sabiá, e que câmeras de monitoramento serão instaladas para melhorar o trabalho dos agentes patrimoniais.

“Nós já temos os motoqueiros, as nossas motos que circulam aqui durante todo o tempo. Nós vamos organizar as câmeras, que já estão sendo instaladas, nós vamos melhorar a iluminação das partes mais críticas, aumentar a segurança nos horários mais críticos também”, disse.

Silvio também disse que já diminuíram os casos de furtos e roubos dentro do parque. “Aqui dentro do parque nós percebemos já, por meio das estatísticas da Polícia Militar, que houve um decréscimo de, aproximadamente, 40% da ocorrência de roubos, furtos e delitos dentro do parque”, explicou.

Divergências sobre a responsabilidade

O advogado Hélio Thomas explicou que a responsabilidade por qualquer ocorrência dentro do parque é da própria Futel.

“Ao oferecer o estacionamento, o estabelecimento é responsável sim, seja ele um supermercado, um shopping. O estacionamento oferecido ele configura um contrato de depósito, mesmo sendo gratuito. No caso, a Futel e a Prefeitura é responsável (sic) pelos danos ocorridos por veículos”, disse Hélio, que recomenda qualquer vítima a buscar os seus direitos.

Já Silvio Soares afirma que a responsabilidade pelo estacionamento não é do órgão.

“Nós não temos nenhuma responsabilidade sobre nada que acontece ali. Nós não temos segurança, nós não catalogamos nenhum veículo, nós não sabemos que veículo que entra ou que sai. Simplesmente é uma área que é dentro do parque e que as pessoas utilizam para estacionamento. Não temos como fazer nenhum controle sobre isso”, explicou.

LEIA TAMBÉM!