INSS nega acréscimo em aposentadoria de homem com sério problema cardíaco

Augusto Ikeda

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Augusto Ikeda

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Legenda da foto

O aposentado Valter Ferreira Cortes, de 46 anos, possui uma doença grave no coração, e por conta disso, tem o direito de receber um acréscimo de 25% no que recebe de aposentadoria. Mas o INSS já indeferiu duas vezes o pedido do aumento.

Valter possui a chamada Síndrome de Brugada, que é uma arritmia cardíaca (batimentos irregulares do coração) hereditária que pode provocar a morte súbita de seu portador. Ele necessita de um aparelho, que está em seu peito, para conseguir contornar parte do problema.

“A gente tinha a certeza que nessa segunda vez, daria tudo certo, mas (o processo) foi indeferido novamente. E o perito disse assim pra mim: esse direito é concedido pra quem precisa de um enfermeiro, de um ajudante, ele não precisa. Mas eu disse ‘eu sinto muito, mas ele necessita sim’”, explicou Abadia Oliveira, esposa de Valter, que também disse que ela e suas filhas precisam se virar para cuidar do aposentado.

Abadia afirma que não quer mais nada além dos direitos de seu marido. “Eu quero o direito dele para os cuidados dele mesmo, os medicamentos. Não é nem pra pagar um ajudante, a família já se dispõe, somos uma família unida. Ele pode partir (a qualquer momento)”, explicou.

Questões judiciárias

Júlio César, advogado da família, confirmou que Valter possui direito ao aumento de sua aposentadoria.

“É um direito dele, ele tem a necessidade de ser acompanhado por uma outra pessoa por que ele pode vir a óbito a qualquer momento, o problema dele é extremamente grave. Os médicos não quiseram dar os 25%. A esposa tem que ficar junto com ele, e ele, no entanto, não teve direito a esse benefício”, explicou.

Informações no local: Léo Carvalho

https://www.youtube.com/watch?v=3FzON3B20Qs&t=40s

https://www.youtube.com/watch?v=IspoPL6cOgM&t=35s

LEIA TAMBÉM!