Saiba como tirar seu título de eleitor

Redação V9

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Redação V9

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Legenda da foto
Pessoas maiores de 16 e menores de 18 anos podem votar de modo facultativo (Imagem: Fabio Pozzebom/Agência Brasil)

Brasileiros que já completaram 18 anos e ainda não tiraram o título de eleitor devem ficar atentos: o alistamento eleitoral no Brasil é obrigatório após 18 anos. O documento oficial e válido em território nacional comprova a inscrição do eleitor na Justiça Eleitoral do Brasil e permite a votação em eleições municipais, estaduais e nacionais.

Para obter o primeiro título de eleitor, é preciso comparecer ao Tribunal Regional Eleitoral de Uberlândia com os documentos necessários.

O alistamento eleitoral é facultativo para maiores de 16 e menores de 18 anos. A mesma regra vale para analfabetos e maiores de 70 anos.

Documentos

Para solicitar o primeiro título de eleitor, o cidadão precisa obter os seguintes documentos:

– Documento de identificação original: carteira de identidade (RG), certidão de nascimento, certidão de casamento (quando casado), carteira de trabalho ou carteiras expedidas por órgãos estabelecidos por leis federais (OAB, CRM, CREA etc.).

– Comprovante de residência: são aceitos contas recentes de água, luz, telefone ou envelopes de correspondência.

Para pessoas do sexo masculino, com idade entre 18 e 45 anos, é obrigatório apresentar: comprovante de quitação do serviço militar – Certificado de Alistamento Militar-CAM, Certificado de Reservista, entre outros.

– Não são aceitos como documentos originais: Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e o novo passaporte por não possuírem naturalidade e filiação.

Restrições

O interessado no alistamento eleitoral não pode possuir condenação criminal, cuja pena não tenha sido integralmente cumprida. Também não é possível obter o documento quando há a declaração de interdição por sentença judicial definitiva.

Há restrição do título para os homens que não estejam cumprindo ou não tenham prestado o serviço militar obrigatório. Também não é permitido que estrangeiros obtenham o documento.

Biometria

Em 2008, foi elaborado o projeto piloto de identificação biométrica de eleitores nas urnas eletrônicas O modelo consiste na coleta de dados biométricos por meio de sensores que os colocam em formato digital.

Nas cidades que já utilizam a votação com identificação biométrica, o eleitor passa pelo cadastramento eletrônico no momento em que tira o novo título. De acordo o TSE, cabe aos Tribunais Regionais Eleitorais (TREs) definir o cronograma de atividades para o recadastramento biométrico daqueles que ainda não são cadastrados no sistema.

A principal vantagem do sistema biométrico é a segurança, além da atualização do cadastro. O uso da biometria exclui a possibilidade de uma pessoa votar por outra, tornando inviável a fraude no procedimento de votação, afirma o TSE.

Na eleição de 2016, foram registrados 46.305.957 eleitores cadastrados pela impressão digital. Ao todo, 1.541 municípios já contam com biometria total (35.809.047 eleitores).

Portal Brasil

LEIA TAMBÉM!