Emater-MG faz levantamento de áreas produtoras de café atingidas pela geada

Redação V9

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Redação V9

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Legenda da foto

Técnicos da empresa orientam os produtores quanto aos danos, para que possam negociar com os agentes financeiros recursos destinados à recuperação das lavouras

Emater de Minas Gerais realizou um levantamento emergencial dos danos sofridos pelas lavouras de café, causados pela geada da última semana. Dos municípios que participaram da pesquisa, 77,8% ficam no Sul de Minas e 21% estão localizados no Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba.

De acordo com o relatório, estima-se que a geada afetou, aproximadamente, 156,3 mil hectares, o que corresponde a 17,2% da área ocupada com cafeicultura na região abrangida pelo levantamento. Os técnicos da Emater-MG em todos os municípios afetados pelas baixas temperaturas estão orientando e auxiliando os produtores rurais para lidar com os impactos negativos das geadas, sobretudo para produtores cuja atividade possui financiamento bancário, acompanhado de seguros em caso de intempéries climáticas.

O levantamento realizado pela Emater-MG mostra que cerca de 9,5 mil produtores tiveram áreas de cafeicultura atingidas pela geada. E aproximadamente a metade desses cafeicultores precisará recorrer a crédito ou seguro rural para fazer frente aos danos constatados.

O diretor-presidente da Emater de Minas Gerais, Otávio Maia, informou que a empresa está unida aos demais órgãos e entidades vinculadas à agricultura, nos esforços em busca de suporte a todos os produtores rurais. A Emater-MG está realizando um levantamento mais aprofundado do impacto das geadas nas lavouras, principalmente de café. Nesta terça-feira (27/7), foram iniciadas, também, pesquisas sobre os prejuízos em outras culturas, como hortaliças e frutas.

De acordo com Otávio Maia, serão promovidas ações conjuntas para auxiliar os produtores a superar essa situação difícil provocada pela onda de frio no estado: “Já estamos disponíveis para fornecer os laudos necessários, tanto para os prefeitos decretarem estado de calamidade, como também para os agricultores terem o respaldo na liberação de seguro rural e financiamento para a recuperação das lavouras. Além disso, os técnicos estão fornecendo todas as orientações, numa força-tarefa, para que os produtores possam retomar suas atividades, em especial na cafeicultura, que responde pela maior parte do Produto Interno Bruto da agropecuária no Estado de Minas”, afirmou Maia.

Na última sexta-feira (23/7), o presidente da Emater-MG esteve em Alfenas, reunido com a ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, e a secretária estadual de Agricultura, Ana Maria Valentini, além de representantes da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) e outras entidades e parlamentares ligados ao setor agropecuário. O grupo viu de perto os danos nas lavouras atingidas pelas geadas e discutiu ações emergenciais para auxiliar os produtores a superar a situação vivenciada.

Para efeitos de solicitação de seguro e crédito rural específicos contra os efeitos das geadas, a principal orientação, no momento, é que os produtores realizem levantamento das áreas atingidas em suas propriedades, incluindo registros fotográficos, que serão úteis na elaboração dos laudos de perdas de produção.

Novas geadas

Os produtores rurais de Minas devem se preparar para uma nova onda de baixas temperaturas e formação de geadas a partir desta quarta-feira (28/7). A informação é do Sistema de Meteorologia e Recursos Hídricos de Minas Gerais (SIMGE), do Instituto Mineiro de Gestão das Águas (IGAM). De acordo com o alerta, a onda de frio intenso afetará com mais intensidade as mesorregiões do Sul de Minas, Triângulo Mineiro, Centro/Sul das regiões Central e Metropolitana, Oeste, Campo das Vertentes e Zona da Mata.

A previsão é que 541 municípios mineiros registrem de 10ºC até temperaturas negativas, com formação de geadas moderadas a fortes. Os modelos meteorológicos de previsão de tempo apontam para a ocorrência de temperaturas negativas de forma generalizada no Sul de Minas e Campo das Vertentes nas madrugadas dos dias 30 e 31 julho, o que deverá provocar geada de média a forte intensidade nessas mesorregiões.

“Geada também deverá ser observada em áreas do Triângulo Mineiro, sul da região Noroeste e Central, entre os dias 29 e 31 de julho. O dia 29 encontra-se como o mais seco dentro do período proposto deste aviso, aumentando a amplitude térmica e fazendo com que a madrugada posterior (30/07) seja a mais fria, com mínimas devendo marcar abaixo dos 7°C na mesorregião Metropolitana, inclusive na capital Belo Horizonte e Região Metropolitana”, informa o alerta meteorológico do SIMGE.

Cartilha

A Emater-MG elaborou uma cartilha para os produtores afetados pelas geadas. Uma das principais recomendações, neste momento de emergência, é se informar se a área atingida está coberta por seguro agrícola e não realizar nenhuma intervenção na lavoura antes da perícia técnica do profissional habilitado para avaliar os danos.

Para facilitar o levantamento dos prejuízos, é interessante elaborar um croqui (desenho), se possível com informações georreferenciadas dos talhões e áreas atingidas, além de registros fotográficos, de preferência com data. No momento, não é indicado realizar nenhum trato cultural, como poda, recepa ou erradicação de plantas. O conteúdo completo da cartilha pode ser acessado AQUI.

Para ter mais informações, os produtores podem procurar o escritório local da Emater-MG do seu município ou entrar em contato por meio dos telefones ou e-mails, disponíveis no site da empresa: www.emater.mg.gov.br.

Ascom/Emater-MG

LEIA TAMBÉM!