Polícia

15 policiais rodoviários federais do Triângulo são presos suspeitos de corrupção e associação criminosa

Enviado por: Carolina Vilela 22/06/2017

O Ministério da Transparência e Controladoria-Geral da União (CGU), a Polícia Rodoviária Federal (PRF) e a Polícia Federal (PF) deflagram, na madrugada desta quinta-feira, 22, a Operação Domiciano. A ação visa cumprir 19 mandados de prisão preventiva e 33 mandados de busca e apreensão, contra 15 policiais rodoviários federais de Unidades Operacionais de Uberlândia, Araguari e Monte Alegre, em Minas Gerais. A ação também envolve prisão de quatro empresários e comerciantes da região.

Os policiais são suspeitos de praticar atos de corrupção contra usuários da rodovia, com auxílio de comerciantes e empresários. Os acusados solicitavam propina de cidadãos que transitavam de forma irregular, deixando de lavrar autos de infração e demais sanções administrativas cabíveis.

Os empresários e comerciantes obtinham vantagens na relação com os acusados, sendo priorizados para atendimento de acidentes e ocorrências, gerando lucro.

Às 7h da manhã policias chegaram à delegacia da Polícia Federal em Uberlândia com materiais. Ao todo, 15 policiais rodoviários federais foram presos preventivamente e 33 mandados de busca e apreensão foram cumpridos. A operação aconteceu depois de 7 meses de investigação e partiu de denúncias recebidas pela corregedoria da própria Polícia Rodoviária Federal sobre cobrança de propinas nas cidades do Triângulo Mineiro.

Quatro empresários e comerciantes da região também foram presos. Além das propinas em abordagens, os policiais também tinham acordos com guinchos, um pátio e davam vantagens para esses investigados.

Corrupção passiva e ativa são apenas dois dos crimes pelos quais os 19 investigados poderão ser acusados.

Foram levantadas imagens e escutas dos suspeitos. Entre os presos tem policiais que trabalham há mais de 20 anos na corporação. A controladoria geral da união analisou movimentações financeiras e a evolução patrimonial deles e dos empresários.

Além do processo criminal, os policiais rodoviários federais ainda vão enfrentar processos administrativos.

No início da tarde, os policiais serão levados para Belo Horizonte, onde ficarão presos por tempo indeterminado.

Informações de Vinícius Lemos

 

A Operação Domiciano

Levantamentos iniciados pela Corregedoria da Polícia Rodoviária Federal em 2016 levaram à instauração de inquérito na Polícia Federal que culminou na expedição dos mandados. A CGU participou de análise da movimentação financeira e evolução patrimonial dos acusados, relação destes com outras pessoas físicas e jurídicas, além de fornecer levantamento de indícios de ilícitos administrativos.

A força-tarefa é composta por aproximadamente 200 policiais (140 Policiais Rodoviários Federais e 60 Policiais Federais) e sete auditores da CGU, e cumpre mandados nas cidades mineiras de Uberlândia, Canápolis, Monte Alegre, Itumbiara, Araguari, Centralina e Delfinópolis. Os presos serão encaminhados à Polícia Federal em Uberlândia e indiciados pelos crimes de corrupção passiva e associação criminosa.

Comentários...