ASSINE O NOSSO BOLETIM DE NOTÍCIAS

RECEBA AS NOTÍCIAS MAIS IMPORTANTES DIRETO NO SEU E-MAIL
iconeenvelope.png

Adolescente de 16 anos tenta se matar em Uberlândia em suposto caso do Desafio da Baleia Azul

Carolina Vilela

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Legenda da foto

BALEIA AZUL TERIA FEITO PRIMEIRA VÍTIMA EM UBERLÂNDIA – Um jovem de 16 anos tentou suicídio nesta quinta-feira, 27, no Bairro Roosevelt, em Uberlândia, supostamente em uma das etapas do Desafio Baleia Azul. Ele foi encontrado pela mãe deitado na cama, inconsciente. A mulher encontrou cartelas vazias de medicamentos de uso controlado, psiquiátrico, sendo eles Zolpidem, Rivotril e Sertralina.

De acordo com o boletim policial, o jovem não conseguia falar e foi levado para a UAI do Bairro Tibery. O pai conversou com a nossa equipe por telefone e disse que ele foi encaminhado em estado delicado para o Pronto-Socorro da UFU. A assessoria de comunicação não confirmou entrada do paciente na unidade.

Segundo informações à PM, o menor estaria na fase 21 do jogo e foi ordenado a pular de um precipício ou de um prédio. Os pais contaram à Polícia Militar que não ele teve coragem de cumprir a ordem e tomou remédios na tentativa de autoextermínio.

No braço da vítima as marcas que identificam o jogo. Ele cortou a pele desenhando uma baleia e outros cortes.

Tudo teria começado 21 dias atrás. Ele recebeu uma solicitação de amizade no facebook e aceitou. Era um perfil fake, que dizia que ele já estava automaticamente no jogo Baleia Azul.

Nos dois primeiros dias ele teve que se cortar. O menor não quis ou não soube revelar os desafios de 3 a 20, mas mencionou que teria envenenado doces para distribuir em Uberlândia. No 21º dia, ele teria que se matar, no entanto não conseguiu.

Ainda por telefone, o pai disse que já estava percebendo comportamentos estranhos há 10 dias. O rapaz é muito estudioso e já vinha se preparando para prestar vestibular. Nas conversas que ele teve no grupo, teria sofrido ameaças. Caso não cumprisse todas as fases, o primeiro alvo seria a mãe dele e depois, crianças da família.

Ainda de acordo com o pai havia várias conversas, até mesmo com perfis de usuários de outros países, como Estados Unidos, por exemplo. Ele disse que a Polícia irá investigar o caso.

 

Carolina Vilela – Colaboraram Léo Carvalho e Karol Mascarenhas

LEIA TAMBÉM!