Governador assina parceria com Fiemg e Senai para aumentar a empregabilidade dos mineiros em situação de pobreza

Redação V9

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Redação V9

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Legenda da foto

Serão oferecidos cursos de capacitação para atendimento ao público do Projeto Recomeço em 28 municípios

O governador Romeu Zema assinou, nesta sexta-feira (16/7), em Juiz de Fora, na Zona da Mata, a parceria entre Governo de Minas, Fiemg e Senai para execução de cursos de qualificação para atendimento ao público do Projeto Recomeço em 28 municípios, que concentram 1/3 das famílias mineiras em situação de pobreza e extrema pobreza no estado. Zema também lançou a Rede Integrada de Proteção ao Turismo, que tem como objetivo desenvolver ações com o objetivo de promover a segurança pública, a cultura e o turismo junto aos municípios mineiros.

O projeto Recomeço é uma iniciativa do governo estadual, elaborada pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese), para fomentar a empregabilidade entre os públicos considerados vulneráveis. A proposta é unir quem emprega a quem precisa trabalhar, por meio de articulações entre os órgãos governamentais e setores produtivos, entidades da sociedade civil e organizações não governamentais.

“Fico imensamente satisfeito de estarmos aqui dando mais esse passo. Ambos os programas estão dentro do contexto maior que é o que nós mais queremos, geração de empregos para o mineiro. Desde o primeiro dia do meu governo minha maior batalha e prioridade tem sido essa: atrair empreendimentos, facilitar a vida de quem gera empregos”, afirmou o governador.

Seleção dos cursos

A seleção dos cursos de capacitação a serem ministrados foi realizada com base nas principais atividades econômicas de cada região, para potencializar as chances de conseguir uma colocação no mercado.

A secretária de Estado de Desenvolvimento Social, Elizabeth Jucá, destacou a importância de estender o projeto para as diversas regiões mineiras. Em Juiz de Fora serão ministrados os cursos “Noções de panificação” e “Produção de tortas doces especiais”.

“O projeto une quem emprega a quem precisa trabalhar. Precisamos unir esforços para combater a vulnerabilidade. Este projeto tem uma característica importante, pois não adianta as empresas oferecerem vagas se as pessoas não têm qualificação profissional, aí entra o Senai na qualificação destas pessoas. É uma qualificação voltada para a demanda do mercado. É muito importante a gente começar este projeto aqui na Zona da Mata e eu convoco a todos os empresários a participarem deste projeto”, destacou a secretária.

Os 28 municípios contemplados estão nas regiões da Zona da Mata (Barbacena e Juiz de Fora); no Triângulo (Araguari, Uberlândia e Uberaba); Norte (Almenara, Bocaiúva, Jaíba, Janaúba, Januária, Montes Claros, Pirapora, São Francisco, e Teófilo Otoni); Vale do Aço (Coronel Fabriciano, Governador Valadares e Ipatinga); e na Região Metropolitana de Belo Horizonte (Belo Horizonte, Betim, Contagem, Esmeraldas, Ibirité, Mariana, Ribeirão das Neves, Sabará, Santa Luzia, Sete Lagoas e Vespasiano).

Serão oferecidos os seguintes cursos: Instalações elétricas prediais; Marcenaria aplicada a brinquedos; Marcenaria básica; Modelagem, corte e costura de enxovais; Modelista de roupas (feminino básico); Noções de instalação elétrica predial; Noções de mecânica de motocicleta; Noções de panificação; Noções em pedreiro de alvenaria; Pães e biscoitos; Produção de docinhos para festas; Produção de salgadinhos para festas; Produção de tortas doces especiais.

Projeto RecomeçoAo todo, o Projeto Recomeço já encaminhou 199 trabalhadores para 228 vagas de emprego, resultando em 32 trabalhadores colocados.São realizadas ações de intermediação de mão de obra, reduzindo as distâncias entre as vagas ofertadas pelas empresas e o público que precisa de emprego. Através das parcerias – que atualmente são 28 – o público alvo do Projeto Recomeço é priorizado pelas empresas contratantes nos processos seletivos realizados.

O encaminhamento dos trabalhadores para as vagas e parceiros é feito através do cruzamento de dados retirados do CadÚnico e do Sine, com base nas habilidades e qualificações de cada trabalhador.Para fazer parte, o trabalhador deve manter seus dados atualizados no CadÚnico e no Sine. Já as empresas que querem se tornar parceiras devem se credenciar e assinar o termo de adesão, disponibilizado após contato com a equipe técnica da Sedese, pelo e-mail [email protected] Integrada de Proteção ao TurismoTambém nesta sexta-feira, Romeu Zema lançou a Rede Integrada de Proteção ao Turismo, por meio de um Termo de Cooperação Técnica entre a Secretaria de Estado de Cultura e Turismo (Secult) e a Polícia Militar de Minas Gerais (PMMG).

Serão desenvolvidas ações para intensificar a segurança pública, a cultura e o turismo nos municípios mineiros, por meio da mobilização de representantes de órgãos públicos, instituições, empresas das localidades envolvidas com o turismo, além das comunidades locais para, juntos, identificarem os principais problemas que dificultam, limitam ou inviabilizam o desenvolvimento do turismo local.

A ideia é propor soluções para a melhoria da segurança e da qualidade de vida da população.“Somos o estado com o maior número de estâncias hidromineral, o maior número de cidades históricas, de represas que têm atividades, parques ecológicos, temos uma culinária diferenciada e um povo acolhedor, temos tudo. E a segurança caminha junto com o turismo. Somo um estado que está entre os mais seguros do Brasil. E quem viaja quer tranquilidade, quer paz para andar na rua”, destacou o governador.

Retomada

O secretário de Estado de Cultura e Turismo, Leônidas Oliveira, falou sobre a importância do projeto para a retomada do turismo no estado.“A criação desta rede integrada trará mais segurança para os destinos turísticos de Minas Gerais e, consequentemente, vai potencializar as atividades relacionadas ao turismo nas regiões implantadas. A ideia é contribuir para que os viajantes tenham as melhores experiências nos locais visitados, além de proteger o patrimônio, os comércios, equipamentos culturais e demais empreendimentos turísticos locais, beneficiando também os habitantes das cidades em que funcionar. Importante ressaltar que tudo parte de um esforço coletivo e depende do engajamento da população e das empresas participantes”, comentou o secretário.

O comandante-geral da PMMG, coronel Rodrigo Sousa Rodrigues, destacou que a redução recorde nos índices de criminalidade no Estado irá contribuir neste processo.“Este projeto vai permitir a redução do medo do crime, divulgando a sensação de segurança que o nosso estado tem e permitir que mais pessoas possam passear em nossa Minas Gerais. Queremos tornar nosso estado um ambiente cada vez melhor para se viver, para trabalhar e para turismo”, afirmou o comandante.

CapacitaçõesTambém serão realizadas capacitações com integrantes da Secult e da PMMG com temas relacionados ao turismo e à atividade turística e sobre as ações da PMMG em prol do turismo e da comunidade local. As capacitações se darão por meio de reuniões on-line e, posteriormente, por meio de plataforma EAD da Secult.

Além disso, estão previstos webinários para difundir os objetivos da Rede e esclarecer dúvidas a respeito de sua atuação.As redes de turismo protegido serão constituídas conforme demanda das cidades e destinos turísticos. Para solicitar a implantação de uma Rede, a localidade deve cumprir alguns critérios: ser um município turístico; integrar a Política de Regionalização da Secult; possuir Conselho Municipal de Turismo ativo; estar cadastrada na Plataforma Integrada do Turismo.O pedido para ingressar na Rede Integrada de Proteção ao Turismo pode ser feito por estabelecimentos, associações e municípios mineiros pelo telefone (31) 3915-7900.

Fonte: Agência Minas

LEIA TAMBÉM!