ASSINE O NOSSO BOLETIM DE NOTÍCIAS

RECEBA AS NOTÍCIAS MAIS IMPORTANTES DIRETO NO SEU E-MAIL
iconeenvelope.png

Grupo de excursão denuncia suposto golpe em agência de turismo de Uberlândia

Darah Gomes

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Legenda da foto

Um homem foi denunciado por suspeita de aplicar um golpe em mais de 22 pessoas, gerando prejuízo de aproximadamente R$ 30 mil. O grupo que planejava uma excursão recebeu nossa equipe de reportagem nesta segunda-feira, 10, para falar sobre o caso.

Eles são de uma igreja de Uberlândia e relataram que estavam planejando uma viagem para Porto Seguro-BA e, inclusive, já estavam pagando as parcelas. No entanto, ao tentarem receber os vouchers na agência de turismo, encontraram um cartaz informando que a empresa estava fechada.

Eles contaram que entraram em contato com o departamento jurídico da agência, que informou o cancelamento da viagem porque a operadora havia deixado a equipe. Eles divulgaram uma proposta de parcelamento em seis vezes para devolução do custo das viagens, mas o grupo reclama por ter planejado ir a um congresso.

As vítimas relataram que o homem usa o cartão de crédito dos clientes para pagar hospedagem e vôos pendentes. Um deles contou que já havia pago o valor parcial da viagem, quando foi cancelada.

Em nota, o proprietário da agência informou que já entrou em contato com todos os clientes, que estão tendo suporte da empresa e de uma equipe de advogados na negociação, para que ninguém seja desamparado. Eles disseram ainda que todos os valores pagos serão repassados e os advogados têm trabalhado para notificar e atender os clientes. “Ressalto que estamos o tempo todo com os telefones ligados e prestando todo auxílio possível, respondendo e arcando com toda responsabilidade”.

O advogado da empresa Turismo à Bordo Ltda., Adilson Roberto Oliveira, esclarece que, “a recente crise política, que com seus reflexos assola todo a economia brasileira, aliada à problemas operacionais, vieram a dificultar o cumprimento de alguns contratos celebrados. Salienta-se contudo que a empresa ostenta de “nome limpo” e crédito disponível no mercado, não se tratando, portanto, de hipótese de estado de insolvência, sendo indubitavelmente possível sanar tais inquietações de forma serena, justa e conveniente para todas as partes.

Oliveira ainda reformou que “a Turismo à Bordo teve a inciativa de realizar a convocação pessoal de cada um, para resolução do contrato, inclusive apresentando de imediato planos para a restituição integral dos valores pagos, nos contratos não passíveis de cumprimento. E que a empresa lamenta o cancelamento das viagens programadas, e ratifica mais uma vez o seu compromisso com o cliente, garantindo que todos os contratos que porventura foram ou forem cancelados terão a restituição integral dos valores conforme preceitua a legislação vigente.”

 

Informações por Léo Soares

LEIA TAMBÉM!