Jornalista condenado a 20 anos por matar ex na igreja deve cumprir apenas 6, diz advogado criminalista

Carolina Vilela

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Carolina Vilela

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Legenda da foto

O advogado criminalista Adriano Parreira falou nesta manhã de quinta-feira, 17, no quadro Andar na Lei, dentro do Programa Chumbo Grosso 1ª Edição, sobre a condenação do assassino de Simone Marca, Marcos Ferreira da Silva. Ele matou a facadas a ex-amante, dentro da Catedral São José, durante uma missa, no dia 7 de outubro de 2016.

De acordo com Parreira, dos 20 anos que o réu pegou de pena ele vai cumprir apenas 8 anos. “E isso, sem remissão, porque ele ainda tem direito, dentro da unidade prisional, de trabalhar. A cada 3 dias trabalhados desconta 1 dia na pena dele. Então, permanecendo a sentença desta forma, ele vai ficar, se muito, 5 a 6 anos preso.”

Segundo Parreira, o crime de homicídio traz pena mínima de 12 anos e máxima de 30. No caso do Marcos Ferreira havia três qualificadoras: recurso que impossibilitou a defesa da vítima, motivo torpe e feminicídio.

Porém, ele é considerado réu primário – apesar de já ter dois processos, ambos inclusive contra a própria vítima Simone Marca – porque ainda não foi julgado por nenhum deles, portanto não tem condenações. “Então a lei beneficia o cidadão infrator nessa condição de réu primário. O cidadão só é considerado reincidente quando ele tem uma sentença condenatória transitada em julgado. E ele só tem dois processos, um inclusive de roubo contra ela. Segundo a denúncia ele teria subtraído o celular dela à força e responderia a esse processo por roubo. E foi justamente quando o juiz o liberou desta ação que ele cometeu o homicídio”, disse Parreira.

É bom ressaltar que os jurados só determinam culpa ou inocência, mas quem aplica a pena é o juiz presidente do tribunal.

A defesa informou que vai recorrer. A acusação também vai analisar o caso juntamente com a família da vítima, para ver se vai recorrer da decisão.

Confira toda a entrevista ao vivo com Adriano Parreira

https://www.youtube.com/watch?v=unNrmV5Q4c4

LEIA TAMBÉM!