Mãe deve indenizar filho em R$ 2,8 milhões por ordenar morte de ex-marido

Redação V9

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Redação V9

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Legenda da foto

Diante da gravidade dos fatos, a 2ª Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça de São Paulo manteve a condenação de uma mãe ao pagamento de indenização por danos morais e materiais ao filho por ter ordenado a morte do ex-marido.

A ação foi ajuizada por Carlos Eduardo Campos Magalhães contra a mãe Giselma Carmem Campos Carneiro Magalhães, condenada a 22 anos e 6 meses de prisão pela morte do ex-marido em 2008. Humberto Magalhães era diretor-executivo da Friboi. Na época, o filho tinha 17 anos e chegou a ser investigado antes da prisão da mãe.

Em primeira instância, a ação foi julgada procedente com a condenação de Giselma ao pagamento de reparação de R$ 500 mil, além de pensão mensal equivalente a 1/3 do salário do executivo até a data em que Carlos Eduardo completou 24 anos, totalizando R$ 2,6 milhões.

Para a relatora, desembargadora Penna Machado, é “inafastável” o reconhecimento da existência de danos morais sofridos pelo autor, “tendo em vista a gravidade do crime cometido pela ré, por motivo torpe, que tirou a vida do pai de seus filhos, privando-os do apoio psicológico e moral e o privando também do sustento financeiro provido pelo pai”.

No TJ-SP, o valor da indenização por danos morais foi reduzido para R$ 200 mil, mas com a manutenção do pagamento da pensão. Com isso, Carlos Eduardo deverá receber pelo menos R$ 2,8 milhões da mãe, sem contar juros e correções. A decisão se deu por unanimidade.

Fonte: Conjur

LEIA TAMBÉM!