PC conclui inquérito das mortes de Guilherme Pagotto e Helton Ivo

Isabela Lamark

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Isabela Lamark

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Legenda da foto
Thiago Matos
Thiago Matos

A Polícia Civil de Uberlândia concluiu o inquérito dos dois assassinatos envolvendo homossexuais, registrados  no último mês. O delegado de homicídios Vitor Dantas concedeu uma entrevista coletiva com a imprensa no fim da manhã desta segunda-feira, 28, para falar sobre a motivação das mortes de Guilherme Duarte Pagotto, de 23 anos, e de Helton Ivo Botelho da Cunha, de 36 anos.

O primeiro caso a ser mencionado pelo delegado foi do Guilherme Pagotto. Thiago de Matos Ferreira, de 28 anos, é citado no inquérito como o executor do assassinato. “Ele cometeu o delito em virtude do desentendimento quanto ao pagamento do programa que estava sendo realizado, oportunidade que o autor teve de fato para estrangular a vítima até a morte”, afirmou Vitor Dantas.

Guilherme Pagotto

Guilherme Pagotto

O delegado ainda diz que após ter matado Guilherme, Thiago recebeu ajuda direta de Deivid Thiago, de 27 anos, que auxiliou a colocar o corpo dentro do carro da vítima, um Corsa Sedan, para ser desovado.

Os envolvidos dispensaram o corpo de Pagotto na MGC-455, saída de Uberlândia para Campo Florido, e posteriormente tentaram vender o veículo da vítima no município de Veríssimo, no Distrito de Prata e em Uberaba.

No segundo caso, o assassinato do cirurgião dentista Helton Ivo Botelho da Cunha, a PC concluiu que se tratava de um crime de latrocínio, que é roubo seguido de morte. “Nós chegamos a essa conclusão após realizar um novo interrogatório com o suspeito Deivid, que confessou por completo a participação no crime, relatando passo a passo“, afirma Dantas.

Deivid é o dono da casa onde o suspeito Thiago mora. Ele disse em depoimento que, após o homicídio de Guilherme, ele permitiu que Thiago retornasse para a sua residência. Thiago de Matos afirmou que iria realizar um novo programa, para conseguir dinheiro para sair da cidade e voltar para o estado do Amapá, onde tem um filho.

Helton Ivo

Helton Ivo

Quando o dentista Helton Ivo chegou na residência, antes mesmo de qualquer tipo de relacionamento, Thiago já teria anunciado o assalto. Ele exigiu da vítima dinheiro, cartão, celular e a chave do veículo. Mesmo Helton Ivo atendendo às exigências do autor, acabou  sendo estrangulado por Thiago.

O delegado disse que no caso do dentista, Deivid teve participação ativa no crime, pois confessou ter auxiliado Thiago a pegar os objetos da vítima enquanto o dentista ainda estava vivo e presenciou o momento do estrangulamento, até a morte.

O corpo dele foi encontrado em decomposição também na MGC-455, próximo ao local de desova do corpo de Guilherme Pagotto.

Leia mais sobre o caso:

 Preso pela PC confessa assassinatos de dois homossexuais em Uberlândia

Por Vinicius Lemos

LEIA TAMBÉM!