Polícia Ambiental resgata maritacas mutiladas por materiais artificiais no Canaã

Carolina Vilela

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Carolina Vilela

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Legenda da foto

Os policias militares ambientais de Uberlândia foram acionados por um morador da Rua Efrain, no Bairro Canãa, que informou a respeito de maritacas que haviam feito ninho na laje de sua residência. O solicitante notou que tinha algo errado com as aves e verificou que havia três filhotes de maritaca se debatendo pois estavam enrolados em linhas.

De acordo com o sargento Eduardo Venâncio, duas delas estavam, cada uma, com uma patinha amputada pelo material artificial. Elas estavam com as pernas e penas enroladas nas linhas que elas próprias utilizaram na confecção do ninho.

A terceira ave não apresentava ferimentos. As três maritacas foram removidas para o Setor de Animais Silvestres da Universidade Federal de Uberlândia para exames, tratamento e, caso tenham condições, serão soltas em seu habitat natural.

A PMA alerta que somente nestes sábado e domingo foram resgatadas no Setor Urbano de Uberlândia oito maritacas e dois periquitos do encontro amarelo. A expansão urbana e o avanço das fronteiras agrícolas forças os animais migrarem para os centros urbanos. “Sobre esta família de animais conhecida como psitacídeos que incluem maritacas, periquitos, papagaios, araras, dentre outras aves, tem-se um cultura errônea de manter estes animais em cativeiro, seja por sua beleza, ou porque se interagem facilmente com a espécie humana“, disse Venâncio.

 

LEIA TAMBÉM!