Polícia apresenta estelionatário que se passava por policial civil

Augusto Ikeda

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Augusto Ikeda

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Legenda da foto

Em coletiva de imprensa realizada na manhã desta terça-feira (1º), a Polícia Civil apresentou o estelionatário Celso Baltazar de Araújo, de 48 anos. Ele é acusado de se passar por policial civil e teria aplicado golpes em, pelo menos, 18 pessoas de Uberlândia.

Segundo informações passadas pela polícia, Celso teria levantado em torno de 40 mil reais com os golpes que aplicou. Ele oferecia facilidades e produtos para suas vítimas, como por exemplo, retirar um carro que estava apreendido, realizar o cancelamento de multas e entregar eletrônicos apreendidos pela polícia.

Celso possuía até mesmo um distintivo de policial civil para convencer suas vítimas. Mas segundo a PC, essa identificação deve ser feita por meio da carteira funcional, e não apenas pelo objeto.

O estelionatário foi preso pela Polícia Militar no final da última semana, após ser abordado com um veículo furtado, possivelmente pertencente a uma de suas vítimas. Como Celso já era investigado há 45 dias, ele foi rapidamente identificado e encaminhado para a Polícia Civil.

A delegada Daniela Novaes disse que Celso irá responder pelos crimes de estelionato e furto mediante fraude.

“Por que furto mediante fraude? Quando ele oferecia esses veículos às vítimas, ele pegava o veículo da vítima, falava que precisava se dirigir até o pátio e não retornava mais. Isso junto com o documento do veículo, o documento das vítimas, com CNH e identidade”, explicou à delegada.

Em um de seus golpes, o estelionatário chegou a utilizar o nome de juízes, delegados e de promotores de forma indevida, e conseguiu pegar 4500 reais de uma pessoa, após oferecer facilidades a ela.

O suspeito chegou até mesmo a envolver o nome de seus filhos em seus golpes. As crianças foram entregues a sua namorada. Agora, a Polícia Civil deve concluir o inquérito contra o estelionatário.

Informações no local: Vinícius Lemos

LEIA TAMBÉM!