Polícia registra aumento no número de casos de furto de cachorros em Uberlândia

Augusto Ikeda

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Augusto Ikeda

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Legenda da foto

Em 2017, a polícia de Uberlândia já registrou, pelo menos, dois boletins de ocorrência em Uberlândia a respeito de furto de cachorros. Essa nova modalidade de crime está crescendo em diversos lugares.

Uma dessas vítimas foi Zara, a Lhasa Apso de 12 anos da empresária Maria Cristina Balbino Silveira. O furto aconteceu no último mês de abril, após ser levada por um homem na porta de sua casa, que fica no Bairro Fundinho.

Maria Cristina já espalhou diversos cartazes e carros de som para encontrar Zara. A dona acredita que sua cadela foi levada por conta do alto preço de sua raça no mercado, que pode chegar a mil reais.

“A gente tem deparado muito com esse tipo de caso, de cachorrinhos furtados por moradores de rua que estão praticando isso pra comprar droga, comida. E vendem baratinho, às vezes uma cachorra de raça, que vale 1.000, 1.500 reais, eles vendem por 40, 50 reais, tudo isso pra comprar drogas”, disse.

Mas a principal marca dessa nova modalidade de crime é a dor da perda do animal de estimação. “(A Zara) Tem me feito muito falta, aos meus netinhos, a minha filha. Tenho sofrido muito com isso, com depressão, chorando muito. Então, o nosso sofrimento, de lá pra cá, tem sido muito difícil”, explicou Maria Cristina

Dados podem ser ainda maiores

Esses dados podem ser considerados ainda maiores, já que eles fazem da chama cifra negra, que é quando as pessoas não registram o boletim de ocorrência. Além do caso de Zara, também foi registrado outro B.O em Uberlândia neste ano.

O Sargento Eduardo, da Polícia Militar de Meio Ambiente, lembra o caso recente do cachorro Orelha, que foi levado da Universidade Federal de Uberlândia. E que a mobilização das pessoas para ajudar a encontrar o animal é fundamental.

“Teve o cão Orelha, da Universidade Federal (de Uberlândia, UFU). Com o apoio da Polícia Civil, a gente fez a prisão do autor na época, e posteriormente foi localizado o animal. Mas por que foi localizado? O pessoal se mobilizou, divulgou e conseguiu localizar o animal”, disse.

Ainda de acordo com o Sargento Eduardo, quem for pego furtando de animais domésticos pode ficar de um a quatro anos na prisão.

Informações no local: Camila Rabelo

LEIA TAMBÉM!