Polícia

Policial que se confunde com bandido não merece o distintivo, diz Delegado Carlos D’Ângelo

Enviado por: Carolina Vilela 04/07/2017

A TV Vitoriosa recebeu ao vivo no Programa Chumbo Grosso 1ª Edição desta terça-feira, 4, o delegado da Polícia Federal em Uberlândia, Carlos Cota D’Ângelo. Ele falou a respeito da ação conjunta com o Ministério da Transparência, Controladoria-Geral da União (CGU) e a Polícia Rodoviária Federal (PRF) que culminou na prisão de 15 policiais rodoviários federais da região do Triângulo Mineiro, suspeitos de corrupção e associação criminosa.

Segundo D’Ângelo, a informação é de que esses “autores” estariam praticando os delitos de cobrança de propina nas rodovias que cortam Uberlândia, Araguari e Monte Alegre de Minas, entre outros crimes, há pelo menos 10 anos. Os investigados são 15 policiais e quatro empresários.

Ele ainda reforça que não se trata de apenas um inquérito policial, pois foram identificadas dezenas de crimes. A investigação é complexa e cada crime está tendo um inquérito específico, para que cada um responda pelos atos que cometeu.

“O verdadeiro policial, aquele que é vocacionado, é uma personalidade importante na sociedade, que deve ser respeitado pelas autoridades, admirado pela população e deve ser temido pelos bandidos. O policial que age diferente e se confunde com bandido, ou anda com pessoas de má índole, não merece ostentar o distintivo que possui”, disse D’Ângelo.

Os investigados optaram pelo silêncio e disseram que só se manifestarão em juízo e, segundo D’Ângelo, a não colaboração pesa contra eles. Todos foram levados para Belo Horizonte.

15 policiais rodoviários federais do Triângulo são presos suspeitos de corrupção e associação criminosa

Policiais rodoviários presos na Operação Domiciano embarcam para Belo Horizonte

Começam os depoimentos dos policiais rodoviários federais presos na Operação Domiciano

Confira a entrevista completa:

 

Comentários...