ASSINE O NOSSO BOLETIM DE NOTÍCIAS

RECEBA AS NOTÍCIAS MAIS IMPORTANTES DIRETO NO SEU E-MAIL
iconeenvelope.png

Preso, suspeito confessa assassinato de agente penitenciário; crime seria a mando do PCC

Carolina Vilela

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Legenda da foto
Imagem: TV Vitoriosa / Arquivo

Foi preso na noite desta quinta-feira, 2 de março, um dos suspeitos de matar o agente penitenciário Luciano Lucas dos Santos, de 43 anos. O crime aconteceu em agosto de 2016 no Bairro Santa Mônica, quando o agente voltava do trabalho para casa.

Preso pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado de Uberlândia (GAECO), órgão integrante do Ministério Público de Minas Gerais, Pablo Quirino dos Santos confessou o crime. Luciano Lucas foi assassinado com diversos disparos de arma de fogo. Ele morreu no local do crime.

De acordo com o Gaeco, Pablo confessou ser o autor dos disparos e esclareceu as motivações para o crime. As equipes concluíram que o assassinato foi encomendado por integrantes do PCC. No entanto o alvo não era exatamente Luciano Lucas. A ordem do homicídio teria partido de um presídio em Campo Grande, por opressão carcerária. Qualquer agente poderia ter sido morto naquela ocasião.

Pablo Quirino dos Santos

Na troca de turno da manhã do dia 17 de agosto, dois veículos saíram da penitenciária. No primeiro havia duas pessoas e, como apenas um dos criminosos estava armado, eles optaram por fazer como vítima um agente que estivesse sozinho, no caso, Luciano.

O Ministério Público recebeu anonimamente uma gravação de conversa telefônica em que Pablo aparece falando com outro autor, identificado como Palmeirense.

O GAECO é composto por Promotores de Justiça, Policiais Militares e Policiais Rodoviários Federais, destinado a investigação e ao enfrentamento do crimes organizados no Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba.

Ainda não há informações sobre outros envolvidos. No dia do crime, dois autores praticaram a ação.

LEIA TAMBÉM!